14/4/21
 
 
Carlos Moedas. "Estou aqui para ser presidente da câmara"

Carlos Moedas. "Estou aqui para ser presidente da câmara"

Luís Claro 05/03/2021 08:46

Fernando Medina acusado de não cumprir “muitas promessas” que fez aos lisboetas. 

Carlos Moedas lançou a candidatura à câmara de Lisboa com a garantia de que está na corrida para vencer e as primeiras críticas a Fernando Medina por não cumprir as promessas feitas aos lisboetas. “Estou aqui para ganhar. Estou aqui para ser presidente da câmara de Lisboa. Deixei a minha vida toda para me concentrar neste projeto, neste objetivo”. 

O ex-comissário europeu, que apresentou a candidatura esta quinta-feira no Instituto Superior Técnico, onde estudou, começou por falar da sua relação com a cidade. Natural de Beja, Moedas veio estudar para Lisboa com 18 anos e garante que nunca esqueceu o dia em que depois de uma viagem de comboio apanhou o barco para Lisboa. “Aquela passagem de barco marcou-me para sempre. Aqueles 30 minutos a olhar para uma cidade que não conhecia, mas que transbordava de beleza e de energia. Não tinha dúvidas, aquela seria a minha cidade. Foi, passou a ser e é a minha cidade. Viajei pelo mundo, mas voltei sempre para Lisboa”. 

Carlos Moedas passou depois ao ataque e apontou alguns dos problemas que a governação socialista com “mais de 14 anos” não conseguiu resolver. “A pobreza e os sem-abrigo são cada vez mais uma realidade”, o trânsito “tornou-se impossível e “a sujidade das ruas salta aos olhos”. Fernando Medina  foi criticado  por não cumprir “muitas promessas que foram feitas”, como “as seis mil casas que foram prometidas” com rendas acessíveis ou os “14 centros de saúde que também foram prometidos e não estão lá, está um”.

A candidatura está lançada, mas a coligação ainda não está fechada. Falta ainda a Iniciativa Liberal e as conversas vão continuar. Ao contrário do que aconteceu nas últimas eleições, Moedas quer juntar vários partidos de centro-direita e independentes e conta já com o apoio do CDS, Aliança, MPT e PPM. Aos partidos, o candidato quer juntar “independentes vindos da sociedade civil e desencantados ou desinteressados da política ou simplesmente cansados” da governação do PS. Ficou dada a garantia de que “esta candidatura não será uma coleção de partidos”. O Chega fica de fora e deverá apresentar um candidato a seguir às eleições diretas previstas para este fim de semana. 

Liderança do PSD? Questionado sobre se esta candidatura pode ser o primeiro passo para a liderança do PSD, Carlos Moedas garantiu que só pensa na câmara de Lisboa. “O meu projeto de vida é ser presidente da câmara de Lisboa. Temos uma oportunidade grande para construir uma alternativa diferente àquilo que se viu até agora. Esse é o meu sonho. Não tenho outro. É o ser presidente da câmara de Lisboa”. A última vez que o PSD conquistou a câmara de Lisboa foi em 2001 com Santana Lopes. 

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×