13/4/21
 
 
Centros de vacinação devem ter capacidade para vacinar cerca de 50 pessoas/hora

Centros de vacinação devem ter capacidade para vacinar cerca de 50 pessoas/hora

AFP Jornal i 03/03/2021 12:17

Centros devem ter um ou mais módulos de vacinação, cada um com cinco postos, para que cada enfermeiro consiga vacinar uma pessoa a cada 6-10 minutos.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) publicou, esta quarta-feira, uma orientação sobre os Centros de Vacinação Covid-19 (CVC) no país, de forma a garantir a aceleração e massificação progressivas da vacinação.

Segundo a diretiva, estes centros devem ter capacidade para vacinar cerca de 50 pessoas por hora, uma sala de emergência e um médico para caso de reações adversas.

"Como referência, recomenda-se que os centros sejam constituídos por um ou mais módulos de vacinação, cada um com cinco postos de vacinação (5 enfermeiros) e com a capacidade de vacinar cerca de 50 pessoas por hora", lê-se no documento, que destaca que, cada enfermeiro, deverá administrar uma dose entre "6 a 10 minutos".

Os CVC devem ser espaços “amplos e arejados”, ter uma rede de frio adequada às especificidades de cada vacina e instruções do fabricante, e os profissionais de saúde devem ter “treino e formação para vacinar e atuar em caso de reações anafiláticas” e equipamento de emergência para tratar estas situações.

Estes espaços devem ser de "acesso fácil a pessoas com mobilidade reduzida", ter dois acessos, de entrada e saída, distintos, bem como "facilidade de estacionamento e transporte de doentes". O objetivo é garantir que os centros funcionam de forma fluida, evitando aglomerados de pessoas.

A DGS destaca que os centros de vacinação podem resultar da adaptação de pontos de vacinação já existentes no Serviço Nacional de Saúde ou de infraestruturas próprias.

Segundo a orientação, cada módulo de cinco postos de vacinação deve ter um médico/enfermeiro para a coordenação, cinco assistentes técnicos para apoio administrativo, dois técnicos de farmácia/enfermeiros para a preparação das vacinas, pelo menos cinco enfermeiros para a administração e um a dois enfermeiros para vigiar os utentes depois de vacinados.

É também necessário um médico para situações de emergência, pelo menos dois elementos para garantir a segurança das instalações e dois assistentes operacionais para garantir a limpeza e desinfeção. Deve ainda ser considerada a participação de voluntários na gestão da circulação das pessoas a vacinar ao longo do circuito.

A autoridade de saúde aconselha ainda a que os CVC tenham uma zona de pausa para os profissionais de saúde e outros profissionais, com condições necessárias para alimentação, e instalações sanitárias.

Consulte aqui o documento na íntegra.

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×