20/4/21
 
 
Covid-19. A sombra da quarta vaga pandémica paira sobre os EUA

Covid-19. A sombra da quarta vaga pandémica paira sobre os EUA

AFP Hugo Geada 03/03/2021 10:07

A diretora do CDC dos EUA alertou que as novas estirpes da covid-19 podem originar uma quarta vaga pandémica no país.

Os Estados Unidos estão a preparar-se para a possibilidade de entrarem numa quarta vaga pandémica antes da maioria da população estar vacinada, alertou Rochelle Walensky, diretora do Centro para Prevenção e Controlo de Doenças (CDC) norte-americano.

Uma das maiores preocupações para a diretora é a existência de novas variantes que “podem ser uma ameaça real para as pessoas e o progresso”. “Com este nível de casos e as variantes a espalharem-se, podemos perder todo o terreno que conquistámos”, disse Walensky, durante um briefing da Casa Branca, numa altura em os Estados Unidos estão perto de registar 30 milhões de infetados e já superaram as 500 mil mortes provocadas pela infeção.
“Esta não é altura para relaxar as medidas de segurança que sabemos serem capazes de impedir a disseminação de covid-19 na nossa comunidade, não quando estamos tão perto. Nós temos a capacidade de impedir a quarta vaga no nosso país”, disse a diretora.

Os Estados Unidos já registaram casos de infeção das variantes da África do Sul, Brasil e Reino Unido, que, segundo um estudo da CDC, este mês poderá tornar-se a variante dominante em circulação no país. Segundo o epidemiologista americano Michael T. Osterholm, a estirpe inglesa é entre 30% a 70% mais contagiosa e foi a grande responsável pelo pico de novos casos e mortes por covid-19 em janeiro, que, entretanto, voltou a abrandar nos EUA, algo que coincidiu com a aceleração da vacinação. Ainda assim, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças norte-americano afirma que, até mais pessoas serem vacinadas, as variantes podem voltar a fazer subir o número de casos, ameaçando o funcionamento do sistema de saúde.

Quarta vaga à volta do mundo O Presidente do Irão, Hassan Rohani, foi dos primeiros do mundo a alertar para os perigos de uma “quarta vaga”, naquele que é o país mais afetado pela pandemia no Médio Oriente e continua a registar um aumento de infeções. Algumas cidades da província do Khuzistão, no sudoeste do Irão, são agora “zonas vermelhas”, após várias semanas com baixos níveis de contaminação em todo o país, o que levou o Presidente, na reunião semanal do comité do coronavírus, a alertar que “isto significa que caminhamos para a quarta vaga. Devemos todos estar vigilantes para evitar isso”.

Em Madrid, depois da Polícia e da Guardia Civil terem sido chamados a intervir em 442 ajuntamentos durante o fim de semana, um recorde no país, o vice-presidente da Comunidade de Madrid, Ignacio Aguado, lançou um apelo ao Governo para se “envolver”, pois teme que estes ajuntamentos sejam responsáveis pela origem da “quarta vaga” no país. 
“Estamos preocupados que uma minoria possa arruinar os esforços de todos os madrilenos e dê início a uma quarta vaga” da covid-19, disse o vice-presidente.

Ler Mais


Especiais em Destaque

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×