9/3/21
 
 
Bruxelas exige reabertura de fronteiras a seis países europeus

Bruxelas exige reabertura de fronteiras a seis países europeus

AFP João Campos Rodrigues 23/02/2021 21:15

O alastrar de novas variantes pôs travão à livre circulação no continente europeu, mas a UE exige que se opte por quarentenas e testes.

 

A Comissão Europeia exigiu a seis países europeus - a Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Suécia, Hungria e Finlândia - que reabrissem as suas fronteiras aos outros países do espaço Schengen, após uma série de fechos unilaterais, para conter o alastrar de novas variantes da covid-19. Esta terça-feira, Bruxelas deu até 10 dias para estes países responderem às suas preocupações, dado a “fragmentação e disrupção do livre movimento e das cadeias de abastecimento, algo a que temos assistido nos últimos dias”. 

Já não é a primeira vez que Bruxelas expressa desagrado com a quebra das regras de reabertura de fronteiras dentro da UE. Estas restabeleciam uma zona de livre circulação dentro da Europa e critérios comum para permitir receber vindos de fora do bloco a países - entretanto, a segunda vaga da covid-19 no continente baralhou as contas.

No caso da Alemanha, há preocupação de que o país se esteja a encaminhar para uma terceira vaga, com um aumento súbito dos casos. Como tal, fecharam a fronteira com a República Checa - o país europeu com mais novas infeções per capita nos últimos 14 dias - e com província austríaca de Tirol, que sofre um enorme surto da variante sul-africana da covid-19. O próprio Governo austríaco viu-se obrigado a recorrer a testar a todos os que saíam da província - mas não gostou quando a Alemanha decidiu fecha as fronteiras. 

Contudo, para a Comissão Europeia, que desaconselhou todas as viagens por lazer, a solução dentro do espaço Schengen deve ser, em último caso, impor quarentena e testes obrigatórios, isentando todos os trabalhadores dos transportes.

Ainda assim, a Alemanha pondera fechar também a fronteira com França, na região de Moselle, que tem tido um pico de infeções por variantes da covid-19. Foi combinado esta terça-feira que haveria um período de 48 horas para coordenar medidas de testagem comuns, entre as autoridades de saúde dos dois países, para evitar o fecho. Mas a ideia não agradou nada ao Presidente Emmanuel Macron, conhecido defensor da abertura das fronteiras europeias - a expetativa é que países do sul, como Portugal ou Espanha, muito dependentes do turismo, acompanhem essa posição.

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×