14/4/21
 
 
Do "cheque psicólogo" às escolas. As propostas para a saúde mental

Do "cheque psicólogo" às escolas. As propostas para a saúde mental

Bruno Gonçalves Jornal i 16/02/2021 08:25

Parlamento vai debater efeitos da pandemia na saúde mental dos portugueses.

O PSD apresentou esta segunda-feira, na Assembleia da República, um projeto de resolução com 20 medidas para responder aos efeitos da pandemia na saúde mental dos portugueses. A proposta defende “a implementação da figura do ‘cheque-psicólogo’ com abrangência prevista para toda a população” e “a criação de mecanismos sistematizados de consulta à distância”. 

O projeto de resolução, da autoria dos deputados Alexandre Poço e Ricardo Batista Leite, entre outros, apresenta várias medidas para os jovens como “o reforço da contratação de psicólogos escolares” e “a introdução nas escolas de um reforço do apoio à saúde mental”.

O líder da JSD, Alexandre Poço, defende que “é premente reforçar a intervenção junto das crianças e jovens” e alerta que é “urgente inverter” a tendência de relegar para segundo plano a saúde mental. 

A deputada não inscrita Cristina Rodrigues apresentou, também esta segunda-feira, uma proposta para que seja criado, em colaboração com a Ordem dos Psicólogos, “o cheque-psicólogo, com o objetivo de aumentar o acesso da população aos cuidados de saúde em psicologia”. 

A medida consta de um projeto de resolução que recomenda ao Governo o reforço das consultas de saúde mental por videoconferência e a contratação de mais psicólogos para os cuidados de saúde primários. 

O Parlamento vai debater os efeitos da pandemia na saúde mental dos portugueses. PSD, Bloco de Esquerda, PCP, CDS e as deputadas não inscritas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues já apresentaram propostas.

Os bloquistas defendem que é necessário avançar com medidas “específicas para dar respostas às consequências imediatas e futuras que a pandemia tem e terá na saúde mental”. O diploma do BE recomenda ao Governo que “crie linhas de apoio regionais e nacionais de apoio à saúde mental”. 

O PCP também alerta que o país tem de estar preparado para responder “a um problema cuja verdadeira dimensão está ainda por conhecer”. Os deputados comunistas propõem o reforço dos profissionais especialistas em saúde mental e “um plano específico de prevenção do suicídio reativo a crises económicas e sociais, criando apoios sociais que revertam a situação”. 

O CDS propõe que sejam disponibilizadas “teleconsultas com os profissionais de saúde adequados para o efeito” e “um levantamento urgente das necessidades na área da saúde mental”. 

A Iniciativa Liberal também defendeu, num projeto de resolução apresentado há duas semanas, que o Governo “crie linhas telefónicas de apoio à saúde mental”, com equipas que incluam psicólogos clínicos e estudantes de Psicologia. Já Joacine Katar Moreira, que apresentou um projeto com dez medidas, advoga a criação de “uma linha de apoio psicológico destinada a profissionais de saúde” e mais psicólogos nos estabelecimentos de ensino. 

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×