2/3/21
 
 
Larry King. Apresentador deixa herança aos filhos

Larry King. Apresentador deixa herança aos filhos

Hugo Geada 15/02/2021 22:54

Foram revelados detalhes da herança do famoso apresentador de televisão, que faleceu a 23 de janeiro, deixando a sua fortuna milionária aos três filhos vivos. A sua esposa, com quem estava a tratar dos documentos para o divórcio, não foi mencionada nos documentos.

Três semanas depois da morte de Larry King foram revelados, através da revista US Weekly, os detalhes do testamento do apresentador de televisão, que entrevistou personalidades de todos os setores: desde o cinema, à música, passando pela política.

O documento foi elaborado no 17 de outubro de 2019, escrito à mão, e instruía que a sua fortuna fosse repartida igualmente pelos seus cinco filhos. “Este é o meu último testamento. Deverá substituir todos os anteriores. Em caso da minha morte em qualquer dia a seguir à presente data quero que 100% dos meus fundos sejam igualmente divididos entre os meus filhos Andy, Chaia, Larry Jr (59), Chance (21) e Cannon (20)”, podia ler-se.

O documento foi elaborado um ano antes dos seus filhos Andy e Chaia terem morrido, no verão de 2020 – um de ataque cardíaco, outro de cancro nos pulmões, aos 65 e 51 anos, com uma diferença de 23 dias– e dois meses depois de ter assinado os papéis de divórcio da sua sétima esposa, Shawn Southwick King, o que pode explicar a sua ausência do testamento.

A esposa, cujo processo de divórcio não chegou a ser concluído, disse que o apresentador de programas como The Larry King Show ou Politicking with Larry King, dias antes de morrer, estava reconciliado com o seu destino e, através de uma chamada vídeo, as últimas palavras que lhe dirigiu foi “eu amo-te, toma conta dos rapazes”.

De acordo com os documentos, a fortuna de King estava avaliada em cerca de 2 milhões de dólares (cerca de 1,65 milhões de euros), no entanto, o Daily Mail escreve, citando o site Celebrity Net Worth, que o património do apresentador está avaliado em cerca de 50 milhões de dólares (aproximadamente 41 milhões de euros).

Apesar de a sua esposa, Shawn Southwick King, com quem King teve os seus filhos Chance e Cannon, ter ficado fora do testamento, esta poderá ter direito a algumas regalias. Segundo a Lei do estado da Califórnia, a esposa possui prioridade para se tornar “gestora especial” da herança depois dos irmãos e irmãs.

No entanto, o seu filho mais velho, Larry King Jr, nomeou-se para servir como administrador da herança do seu pai, aguardando uma aprovação do tribunal para ser oficializado. Larry Jr argumentou no tribunal que o seu pai e Shawn viviam separados desde 2019.

Dura luta contra covid-19 O jornalista que entrevistou um variado leque de personalidades, desde Jerry Seinfeld, a Marlon Brando, passando pela reunião dos Beatles, em 2007, a Donald Trump ou Vladimir Putin, faleceu no passado dia 23 de janeiro, no Cedars-Sinai Medical Center, na Califórnia, aos 87 anos.

“Quer estivesse a entrevistar um Presidente dos EUA, líder estrangeiro, celebridade, personagem cheio de escândalos, ou um homem comum, Larry gostava de fazer perguntas curtas, diretas e descomplicadas. Ele acreditava que perguntas concisas geralmente davam as melhores respostas, e não estava errado nessa crença”, pode ler-se no comunicado publicado no Twitter do falecido jornalista.

King tinha sido hospitalizado em dezembro, infetado com covid-19, e ainda conseguiu vencer o vírus, mas não resistiu à sépsis, confirmou à Entertainment Tonight, Shawn King.

“Apesar de não querer ir realmente embora, estava pronto para partir. O seu frágil corpo tinha sido atacado muitas vezes, por muitas coisas”, disse a esposa. “Assim que ouvimos a palavra covid-19, todos os nossos corações encolheram, mas conseguiu superar. No entanto pagou um preço bastante grande, e esta infeção, [que não estava relacionada com a covid-19], finalmente levou a melhor, mesmo que [Larry] não se tenha dado por derrotado facilmente”, descreveu Shawn.

Despedida de suspensórios O funeral de Larry King decorreu de forma discreta, não foi permitida a entrada de meios de comunicação, e foi feito “muito rapidamente” como é comum no judaísmo, explicou Shawn King, confessando que nem ela, nem os filhos, tiveram tempo de processar a morte de King e realizar o luto. No entanto, segundo os relatos feitos pela esposa, foi um funeral íntimo, onde estiveram presentes os familiares do falecido jornalista.

A família decidiu prestar um último tributo a King, ao adornar os seus icónicos suspensórios, uma das imagens de marca do apresentador.

“Todos nós, estava presente apenas a família, usámos suspensórios como o Larry. E foi lindo, amoroso... simplesmente perfeito, simplesmente perfeito”, descreveu a viúva.

 

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×