9/5/21
 
 
Estado adjudica 12 imóveis para fins turísticos

Estado adjudica 12 imóveis para fins turísticos

Revive Natureza Jornal i 12/02/2021 22:13

Está prevista a criação de 50 postos de trabalho. A maioria dos projetos (8) está destinada a alojamento turístico, dois a restauração e dois a atividades de animação e lazer de âmbito turísticos.

O Estado adjudicou os primeiros 12 imóveis a entidades privadas para exploração turística, através do Fundo Revive Natureza – que tem como objetivo a "criação de uma oferta turística sustentável e inovadora que acrescente valor à região, atraindo novos visitantes e fixando novos residentes nas localidades onde se inserem" –, anunciou esta sexta-feira o Ministério de Estado, da Economia e da Transição Digital em comunicado. 

De acordo com o Governo, está prevista a criação de 50 postos de trabalho. A maioria dos projetos (8) está destinada a alojamento turístico, dois a restauração e dois a atividades de animação e lazer de âmbito turísticos.

Os imóveis adjudicados foram os seguintes: Antigo Posto Fiscal da Comporta, no concelho de Alcácer do Sal; Antigo Posto Fiscal de São Jacinto, no concelho de Aveiro; Antigo Posto Fiscal em Malpica do Tejo, no concelho de Castelo Branco; Antigo Posto Fiscal de Quiaios e Antiga Sede da Administração Florestal da Figueira da Foz, no concelho da Figueira da Foz; Antigo Posto Fiscal em Alares, no concelho de Idanha-a-Nova; Antigo Posto Fiscal de Vilamoura, no concelho de Loulé; Antigo Posto Fiscal de São Pedro de Moel, no concelho da Marinha Grande; Antigo Posto Fiscal de Viana do Castelo e Antigo Posto Fiscal da Amorosa, no concelho de Viana do Castelo; e Antigo Posto Fiscal da Carvalha, no concelho de Vila Nova da Cerveira e Antigo Posto Fiscal dos Lavadores, em Vila Nova de Gaia.

"Lançado a 21 de julho de 2020, o concurso recebeu um total de 161 propostas. As propostas vencedoras, para além da recuperação do imóvel de uma forma que minimize o impacto ambiental, assumem o compromisso de criar emprego localmente, bem como de promover outras ações com impacto social relevante. Os concorrentes propõem-se, ainda, a promover os produtos típicos da região (alimentares, artesanato, etc.) e criar experiências, nomeadamente através de parcerias, que permitam aos visitantes viver a região (experiências de natureza, culturais, de aventura, etc.).", lê-se no comunicado.

Os concorrentes vencedores "terão nove meses para a apresentação e aprovação dos Pedidos de Informação Prévia vinculativos, ou dos Projetos de Arquitetura, junto das Câmaras Municipais onde se localizam os respetivos imóveis".

 

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×