9/5/21
 
 
"Os responsáveis pelo definhar do CDS não aceitaram a derrota no congresso"

"Os responsáveis pelo definhar do CDS não aceitaram a derrota no congresso"

Bruno Gonçalves Luís Claro 08/02/2021 12:22

Abel Matos Santos, fundador da Tendência Esperança em Movimento e ex-dirigente do CDS, admite que o partido está dividido e aconselha Rodrigues dos Santos a afastar “os usurpadores que o quiseram derrotar”.

A moção de confiança apresentada pelo presidente do CDS foi aprovada. Este é o melhor caminho ou preferia a realização de um congresso para clarificar a situação?

Francisco Rodrigues dos Santos cometeu erros fundamentais ao convidar para a sua direção os que perderam e ao não ter feito uma auditoria às contas do partido. Logo, era expectável que isto acontecesse e o tentassem apear. A moção de confiança foi ganha claramente, revelando que ainda tem apoio, que não reside só na sua pessoa mas na certeza de que a oposição protagonizada por Adolfo Mesquita Nunes seria muito pior, não sendo desejada pela vasta maioria do eleitorado do CDS.

Francisco Rodrigues dos Santos pediu paz interna. É possível o partido unir-se até às autárquicas?

Penso que sim, mas depende essencialmente da atitude do Francisco Rodrigues dos Santos.  

O que terá de fazer, na sua opinião, para corrigir o caminho?

Deve preocupar-se em fazer partido com os que o apoiaram e o querem manter e não com os usurpadores que sempre o quiseram derrubar

O Conselho Nacional deste fim de semana prejudicou a imagem do CDS?

Prejudicou e de que maneira. Contudo, também deixou uma imagem clara de como o CDS está dividido, entre uma ala mais conservadora e jovem, onde me revejo, e uma ala mais liberal e afastada do ideário democrata -cristão, ideário que é central no CDS. Ficou claro que os que estiveram no partido nos últimos 20 anos e são responsáveis pelo definhar do CDS não aceitaram a derrota no congresso. São eles os divisionistas. Empurraram Manuel Monteiro para fora do CDS, atacaram cobardemente Ribeiro e Castro e agora quiseram repetir com Rodrigues dos Santos. A cobardia de ontem é igual à de hoje. 

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×