7/3/21
 
 
Tiago Mayan vs Vitorino Silva. Críticas à TAP unem candidatos, mas posição sobre confinamento separa-os

Tiago Mayan vs Vitorino Silva. Críticas à TAP unem candidatos, mas posição sobre confinamento separa-os

Redação 08/01/2021 23:45

Candidato Liberal diz que país não aguenta um novo confinamento geral, já Tino de Rans defende que se é para parar é preciso “parar todos ao mesmo tempo”.

O último debate desta noite, transmitido pela RTP3, colocou frente a frente os candidatos Tiago Mayan Gonçalves, do Iniciativa Liberal, e Vitorino Silva (conhecido por Tino de Rans), do RIR - Reagir, Incluir e Reciclar.

O tema da pandemia foi, sem surpresa, o que marcou o debate entre os dois candidatos a Belém, nomeadamente a possibilidade de estar iminente um confinamento geral, por decisão do Governo.

“Temos de começar a olhar em concreto para os grupos mais vulneráveis e ter uma resposta robusta. Já sabemos que esta doença não afeta todas as pessoas da mesma forma. Estamos a tomar medidas cegas e avulsas”, defende Mayan, que disse que “o país não aguenta um novo confinamento generalizado".

Na continuação das suas críticas da gestão da pandemia do Executivo, o candidato do Iniciativa Liberal chegou mesmo a questionar se “não terá sido a decisão do Governo de concentrar as pessoas em determinados horários que contribuiu para o aumento do número de casos?”.

Mas as críticas de Mayan não ficaram por aqui, o candidato acusou ainda o Governo de não ter colocado em prática as respostas económicas à pandemia. “As empresas ainda não receberam os supostos apoios que o Governo anda a anunciar”, afirmou.

Já Vitorino Silva mostrou-se recetivo ao confinamento e sublinha que “para o país fechar têm de fechar os políticos. Se o povo for para casa eu também vou para casa”. Por outro lado, frisa que se for para parar é preciso “parar todos ao mesmo tempo”, que “foi o que não aconteceu em março”.

Tino de Rans fez ainda questão de lembrar que já tinha alertado Marcelo Rebelo de Sousa, numa audiência em Belém a 7 de outubro, para o facto de as eleições decorrem numa altura em que já se esperava uma situação grave relativamente à pandemia. Tino de Rans disse-se preocupado com a votação dos idosos.

O tema do SNS também esteve em cima da mesa, gerando mais críticas de Mayan, que insistiu que o Governo cometeu um erro ao não recorrer aos privados.

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×