23/7/21
 
 
Covid-19. Contágio continua a abrandar no Norte. No Alto Alentejo espalhou-se

Covid-19. Contágio continua a abrandar no Norte. No Alto Alentejo espalhou-se

Mafalda Gomes Marta F. Reis 15/12/2020 08:21

Paços de Ferreira, que durante semanas foi o concelho com maior contágio no país e bateu recorde de incidência, deixou de estar no patamar de risco extremamente elevado. No Alto Alentejo, onde o contágio começou por subir em Portalegre, a covid-19 alastrou nos concelhos à volta.

Está menos intensa a epidemia no norte do país, embora com níveis de contágio ainda elevados em alguns concelhos e agravamento em alguns casos, mas com tendência decrescente na maioria – desde logo em Paços de Ferreira, que bateu recordes de incidência a nível nacional, com mais de 4 mil casos por 100 mil habitantes, e surge agora pela primeira vez abaixo do patamar dos 960, a fronteira entre o risco muito elevado e extremamente elevado. Mas se Tâmega e Sousa, depois Grande Porto, Bragança e Vila Real foram durante semanas a mancha a vermelho mais escuro no mapa nacional no que toca à disseminação da covid-19, há uma nova região a destacar-se pelo agravamento do nível de contágio: o Alto Alentejo.

A mais recente avaliação da evolução da epidemia a nível municipal, publicada esta segunda-feira pela Direção-Geral da Saúde, mostra que Portalegre, que foi o primeiro concelho desta zona do país a entrar no patamar de risco extremamente elevado, já desceu desse patamar. Também Gavião regista melhorias, mas o mesmo não se pode dizer dos concelhos à volta, onde a situação se agravou. Depois de Mondim de Basto, o concelho com maior incidência a nível nacional mas onde há um abrandamento dos novos casos face à avaliação anterior, Marvão é nesta última avaliação da DGS, que o i analisou, o segundo concelho com maior incidência de covid-19 no país. Foi também um dos municípios onde a incidência mais aumentou neste último período avaliado pela autoridade nacional de saúde, que abrange os dias entre 25 de novembro e 8 de dezembro. O Crato entrou também para o patamar de risco extremamente elevado, diretamente para o sétimo lugar a nível nacional. Na primeira vaga da epidemia, o Alentejo esteve mais protegido, com menos casos e apenas uma morte ao fim de dois meses de confinamento, mas o cenário é hoje diferente e tem havido surtos, mas também casos de transmissão comunitária. Nos últimos sete dias, o Alentejo registou uma maior incidência por 100 mil habitantes do que a região de Lisboa e Vale do Tejo, ao passo que no Norte houve uma melhoria e, em Lisboa, alguma estabilização. Mourão, no concelho de Évora, registou também um dos maiores agravamentos neste período, passando de 694 para 1224 casos por 100 mil habitantes.

 

Semana de decisões depois de 15 dias atípicos

Este último balanço da DGS abrange as duas segundas-feiras de dezembro com tolerância de ponto e os feriados de 1 e 8. Já na semana passada, quando a avaliação apanhava o primeiro fim de semana prolongado, o i tentou perceber junto da DGS se não poderia haver uma subestimativa da incidência nos concelhos, o indicador usado pelo Governo para definir os municípios sujeitos a medidas mais ou menos apertadas, não tendo tido resposta.

Neste novo balanço são menos dez os municípios com risco extremamente elevado, num total de 25. Há depois 82 concelhos no patamar de risco muito elevado (entre 480 e 960 casos por 100 mil habitantes), quando há uma semana eram 79. Entre estes concelhos houve novas entradas e, ao todo, 21 saídas, ou seja, 21 concelhos que poderão ver aliviadas restrições numa próxima avaliação. São os concelhos de Alandroal, Alcanena, Alijó, Ansião, Arcos de Valdevez, Caminha, Cantanhede, Cartaxo, Castelo de Paiva, Cuba, Gouveia, Manteigas, Mirandela, Murça, Pampilhosa da Serra, Sabugal, Sardoal, Sátão, Serpa, Tarouca e Vila Nova de Paiva. O i tentou perceber junto da Direção-Geral da Saúde se, sendo estas duas semanas atípicas, esta avaliação será usada para o levantamento de restrições como aconteceu na renovação do atual estado de emergência, mas não teve resposta. Esta semana está prevista uma nova reunião no Infarmed, com o ponto de situação sobre a evolução da epidemia, e o Governo apontou para dia 18, a próxima sexta-feira, a avaliação das medidas para o Natal e o Ano Novo. Na Área Metropolitana de Lisboa, onde na semana passada foram aliviadas medidas em oito concelhos, os novos dados de incidência não mostram alterações. Lisboa e Loures, onde não foram levantadas restrições, permanecem acima do patamar dos 480 casos por 100 mil habitantes. Amadora e Sintra tinham as incidências mais perto do limiar de risco muito elevado quando foram levantadas medidas. Na Amadora, a incidência baixou significativamente, estando agora no patamar dos 400 casos por 100 mil habitantes. Em Sintra mantém-se um nível idêntico ao da anterior avaliação: 456 casos por 100 mil habitantes.

 

Cautela no Natal

A ministra da Saúde reiterou, esta segunda-feira, o pedido para que a quadra natalícia seja vivida e gozada de forma diferente. “O Natal é um tempo de festa, que nos leva a querer estar com os mais próximos, mas que este ano tem de ser vivido de forma diferente, refletida e cuidadosa”, disse Marta Temido à margem da inauguração do novo Serviço de Urgência Geral do Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF), na Amadora.

A ministra sublinhou que não se pode “em nome dos próximos natais, em nome das famílias e em nome dos profissionais de saúde”, abandonar os cuidados que se têm tido. “Não lhes podemos pedir mais e temos de ouvir o pedido deles para termos o máximo cuidado na nossa vida diária”, acrescentou.

Marta Temido insistiu que a vacina é uma “uma luz ao fundo do túnel”, mas, ao mesmo tempo, lembrou que continua a haver “uma elevada pressão sobre o sistema de saúde” que deve levar os portugueses “a não relaxarem nos cuidados sanitários”.

 

Internamentos continuam a baixar no Norte

Ontem os internamentos tornaram a aumentar no país e nos últimos dias tem havido oscilações.

Segundo i apurou junto da Administração Regional de Saúde do Norte, o número de doentes internados com covid-19 continua a baixar nos hospitais do Norte. Em Lisboa, tem havido dias com subidas e outros com descidas, uma tendência de alguma estabilização.

A subida do RT em Lisboa, de novo acima de 1, fez no entanto soar alertas no final da semana passada. Na conferência de imprensa de sexta-feira, a ministra da Saúde sublinhou que os indicadores permanecem em vigilância e lembrou que as medidas aliviadas em Lisboa podem voltar a ser apertadas em caso de necessidade. “Alguns concelhos da região de Lisboa e Vale do Tejo deixaram de estar em risco extremo ou muito elevado. Por isso tiveram nestes dias algum desagravamento de medidas, mas é muito importante que, independentemente do nível de risco, todos recordemos que alívio de medidas não é relaxamento e que os dias que vêm aí, de convívio, de troca de prendas, não podem ser vividos de forma habitual”, afirmou Marta Temido. “Não hesitaremos, se necessário, em retomar medidas mais gravosas”, advertiu, lembrando o que tem sido sempre dito pelo Governo e reiterando que a estratégia é tomar as medidas estritamente necessárias, quando necessárias.

Concelhos com maior contágio  - 25 nov  a 8 dez
Clique na imagem para ver melhor
  

Mais de 960 casos por 100 mil habitantes/14 dias – risco extremamente elevado

Mondim de Basto (2663), Marvão (2097), Chaves (2084), Trofa (1616), Armamar                (1577), Vila Pouca de Aguiar (1471), Crato (1470), Vila Nova de Famalicão (1424), Vimioso (1392), Esposende (1346), Guimarães (1340), Vieira do Minho (1267), Póvoa de Varzim (1234), Gavião (1226), Mourão  (1224), Nisa (1221), Barcelos (1205), Felgueiras (1205), Póvoa de Lanhoso (1205), Valpaços (1100), Vila do Conde (1076), Pinhel (1069), Espinho (1054), Fafe (1049), Lousada (975)

Entre 480 e 960 casos  – risco muito elevado

Braga (956), Portalegre (956), Santa Maria da Feira (951), Baião (933), Lamego (920), Tabuaço (895), Oliveira de Azeméis (889), Mortágua (886), Miranda do Corvo (873), São João da Madeira (861), Figueira de Castelo Rodrigo (860), Amarante (857), Anadia (814), Valongo (810),  Penafiel (777), Paredes (775), Vila Nova de Gaia      (774), Santo Tirso (767), Amares (756), Montemor-o-Novo (748), Vila Verde (735), Marco de Canaveses (722), Torre de Moncorvo (715), Aguiar da Beira (709), Paços de Ferreira (703), Freixo de Espada à Cinta (697), Chamusca (696) Ovar (693),  Gondomar (688), Penacova (686), Alfândega da Fé (681), Porto (680), Alenquer (672), Rio Maior (672), Vizela (661), Boticas (660), Bragança (658), Matosinhos (653), Seia (652), Albergaria-a-Velha (650), Maia (650), Guarda (644), Santa Marta de Penaguião (636), Penamacor (631), Terras de Bouro (629), Arouca (627), Valença (625),Castelo de Vide (617), Águeda (612), Ponte de Lima (608), Castelo Branco (604), Murtosa (603), Azambuja (594), Soure (590), Cabeceiras de Basto (589), Resende        (572), Miranda do Douro (571), Cinfães (570), Nelas (570), Vale de Cambra (567) Belmonte (563), Celorico de Basto (562), Ílhavo      (556), Almada (547), Oliveira do Bairro (540), Condeixa-a-Nova (536), Lisboa (530), Viana do Castelo (524), Vila Real (524), Montijo (519), Covilhã (513), Moita (511), Macedo de Cavaleiros (510), Barreiro (502), Figueira da Foz (495), Torres Vedras (494), Ponte da Barca (492), Montalegre (489), Évora (488), Aveiro (484), Estarreja (481), Loures (480)

Entre 240 e 480 casos – risco elevado

Murça (476), Lousã (472), Mirandela (469), Odemira (469), Fundão (464), Cantanhede    (463), Caminha (460), Sintra (456), Arcos de Valdevez (454), Gouveia (452), Alcochete (450), Odivelas (448), Viseu (438), Coimbra (435), Ansião (432), Grândola (430), Oliveira do Hospital (426), Sabugal (425), Peniche (423), Mealhada (422), Pampilhosa da Serra (421), Alijó (414), Cascais (407),Seixal (407), Leiria (406), Alcácer do Sal (403), Castelo de Paiva      (401), Amadora (398), Figueiró dos Vinhos (395), Golegã (393), Setúbal (392), Vila Franca de Xira (392), Vinhais (387), Monção (386), Mira (380), Castro Daire (376), Tarouca (372), Povoação (371), Santarém (371), Sátão (371), Vila Nova de Paiva (363), Alandroal (361), Celorico da Beira (361), Montemor-o-Velho (357), Serpa (357), Cartaxo (356), Batalha (351), Vagos (347), Porto de Mós (344), Portimão       (342), Penalva do Castelo (337), Fronteira (336), Monforte 336), Palmela (335), Ribeira Grande (332), Mesão Frio (328), Alcanena (320), Reguengos de Monsaraz (320), Sobral de Monte Agraço (319), Oeiras       (318), Alter do Chão (316), Mafra (316), Barrancos (306), Castanheira de Pêra (306), Cuba (305), Torres Novas (301), Angra do Heroísmo (299), Manteigas (299), Marinha Grande (296), São João da Pesqueira (295), Sesimbra (295), Lagos (293), Mértola (293), Trancoso (293), Vila Nova de Foz Côa (292), Pombal (284), Avis (283), Caldas da Rainha (281), Tondela (277), Almeida (274), Vila Nova de Poiares (274), Peso da Régua (273), São Pedro do Sul (273), Ourém (270), Sertã (268), Penela (259), Almeirim (257), Campo Maior (254), Carregal do Sal (248), Castro Marim (241), Entroncamento (241), Coruche (240), Oleiros (240), Silves (240).

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×