19/1/21
 
 
CUF. Porque a memória nunca prescreve!

CUF. Porque a memória nunca prescreve!

Afonso de Melo 25/11/2020 09:04

Por causa da Taça de Portugal e da eliminatória entre o Fabril e o FC Porto, chegaram do passado recordações da velha CUF, clube ligado às empresas de Alfredo da Silva e que se manteve durante 22 anos consecutivos na i Divisão, atingindo por três vezes as taças europeias e tendo-se batido de igual para igual com o Milan.

Por causa da visita do FC Porto para Taça de Portugal – vitória dos campeões nacionais por 2-0 – o Fabril voltou às primeiras páginas dos jornais. Sob o novo nome, Grupo Desportivo Fabril do Barreiro, ergue com orgulho o facho de ser o herdeiro de um clube que se manteve durante 22 anos na i Divisão do futebol em Portugal, o Grupo Desportivo da CUF (Companhia União Fabril).

Nos tempos que correm, em que os clubes-empresa são o pão nosso de cada dia, a CUF recorda-se como a primeira empresa a ter um clube verdadeiramente competitivo. Não era a única. Havia os exemplos do Alba, fundado em 1 de janeiro de 1941 pelos funcionários da metalúrgica Alba, situada em Albergaria-a-Velha, o Sporting Clube Vista Alegre, de Ílhavo, criado pelos operários da famosa fábrica de louças, ou o Riopele, ideia dos trabalhadores da empresa têxtil com o mesmo nome. Alguns exemplos, entre outros. Apesar de o Riopele ter jogado o campeonato nacional da i Divisão na época de 1977-78, nenhum atingiu o prestígio e a qualidade de várias equipas que a CUF apresentou ao longo dos anos.

Leia o artigo completo na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×