1/12/20
 
 
TVI. CT continua a defender integração de trabalhadores nos quadros

TVI. CT continua a defender integração de trabalhadores nos quadros

Miguel Silva Daniela Soares Ferreira 18/11/2020 09:52

Em causa está a contratação de jornalistas através de uma empresa de outsourcing. Sindicato garante que está a acompanhar a situação. 

A história não é recente, mas ainda não está resolvida: há vários trabalhadores da TVI que não têm contrato com a empresa nem com a Media Capital e são contratados através de empresas de trabalho temporário e outsourcing, como é o caso das Hospedeiras de Portugal. Nesse sentido, a comissão de trabalhadores (CT) da estação de Queluz voltou a colocar no mais recente boletim – a que o i teve acesso – a lista dos 26 trabalhadores nesta situação. Aliás, a comissão defende a integração nos quadros de todos os trabalhadores que asseguram funções permanentes no canal de televisão e garante que esta mesma lista “constará sempre neste boletim até que todos sejam integrados”.

Ao i, a CT da TVI explica que vai continuar a defender esta integração e a “repudiar esta forma de contratação, que se prolonga”. 

Questionados sobre se já lhes foi dada alguma resposta, os trabalhadores dizem que este tema é recorrente nas reuniões mensais com o representante da administração e a direção de recursos humanos. “A justificação que nos deram é que a empresa não pode admitir mais pessoas nos quadros numa altura em que ainda estava, há vários anos, em processo de venda. Agora que parece que o processo de venda está terminado, parece-nos a altura ideal para esta situação ser resolvida”. 

Mas a verdade é que a situação ainda não está resolvida. A CT explica o que tem acontecido ao longo dos anos: ”Quando abre uma vaga nos quadros, por saída de alguém, há trabalhadores nesta situação que entram. Os critérios para a ordem dessa passagem nunca foram claros, mas foram ‘afinados’ recentemente devido à pressão da comissão de trabalhadores”, dizem ao i. 

Recentemente, duas pessoas saíram da empresa porque os contratos terminaram e a direção de informação da estação decidiu não manter esses trabalhadores. “A comissão de trabalhadores reuniu-se de imediato com o diretor de informação, que garantiu que se tratou de dois casos pontuais. Da nossa parte, voltámos a lamentar a existência de contratos externos prolongados e a facilidade com que se podem dispensar trabalhadores nesta situação precária”, avançou a comissão ao i. 

O Sindicato dos Jornalistas diz que está a acompanhar a situação e disposto a ajudar os jornalistas nesta situação. Ao i, a Media Capital diz que não comenta aspetos da organização do funcionamento interno da empresa. 

Ler Mais


Especiais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×