1/12/20
 
 
Croácia. Os fascistas não quebraram nunca o orgulho dos haiduques!

Croácia. Os fascistas não quebraram nunca o orgulho dos haiduques!

Afonso de Melo 17/11/2020 08:40

Em 1941, Mussolini quis que Split (onde Portugal joga hoje) entrasse na Série A italiana com um clube chamado Società Calcio Spalato. Os croatas disseram NÃO!

Mergulhemos numa das mais fascinantes histórias do combate ao nazismo, tendo por fundo a Croácia, esse país cuja seleção recebe hoje a de Portugal para esta nova Liga das Nações da qual conquistámos a primeira edição, precisamente em Split, o palco dos acontecimentos. Eu sou fascinado por episódios em que os homens são capazes de dizer “Não!” quando sentem apertar-se à volta do pescoço os nós da prepotência. Por isso, vamos até abril de 1941, quando o vasto território que durante décadas conhecemos por Jugoslávia foi invadido pelas potências do Eixo. Duas dessas potências, Itália fascista e Alemanha nazi, resolveram, por uma questão de conveniência, fundar o Estado Independente da Croácia, cabendo aos italianos a ocupação militar de toda a costa do Adriático.

Split era a cidade no centro do furacão. A resistência levada a cabo sob o comando de Josip Broz Tito, o pai da futura República Federativa da Jugoslávia, foi tão feroz que os seus habitantes viviam num tremendo clima de terror.

Leia o artigo completo na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.

Ler Mais


Especiais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×