1/12/20
 
 
As promessas que arruinaram (e quase mataram) os nossos músicos favoritos

As promessas que arruinaram (e quase mataram) os nossos músicos favoritos

Hugo Geada 27/10/2020 08:49

Infelizmente, Britney Spears não foi o primeiro caso em que alguém se aproveitou de um músico para fazer dinheiro à custa do seu talento. Recordamos alguns casos em que terceiros procuram aproveitar-se e controlar músicos em seu proveito. Nalguns, conduzindo os próprios artistas às portas da morte.

Um dos casos mais mediáticos em que um músico perdeu não só os direitos da sua música, mas também o controlo da sua vida foi o de Brian Wilson, o visionário fundador dos Beach Boys e o génio por trás do álbum seminal Pet Sounds (1966).

No final dos anos 1960, o músico internou-se num hospital psiquiátrico devido a problemas de saúde mental ligados ao consumo exagerado de LSD. Para ajudar o músico, em 1975, a sua mulher, Marilyn Wilson-Rutherford, contratou o psicoterapeuta Eugene Landy. No entanto, depois de tentar controlar artisticamente os Beach Boys, Landy foi despedido por Steve Love, manager e primo de Brian.

Em 1982, depois de sofrer uma overdose, Wilson viu-se obrigado a voltar a recorrer a Landy para o ajudar. Sob o seu conselho médico, o autor de temas como Wouldn’t It Be Nice ou Caroline deixou de fazer tours com a banda.

O médico tornou-se tutor legal do músico e foi responsável pelo seu afastamento da sociedade e da família, enquanto cobrava um salário exacerbado e recebia uma parte dos direitos musicais de Wilson.

Leia o artigo completo na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.

Ler Mais


Especiais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×