1/12/20
 
 
Covid-19. Europa aperta restrições para travar agravamento da pandemia

Covid-19. Europa aperta restrições para travar agravamento da pandemia

Pedro Almeida 22/10/2020 08:49

A República da Irlanda entrou ontem em confinamento obrigatório e o mesmo acontece amanhã no País de Gales. Espanha pondera estado de emergência em Madrid. Itália e França com restrições faseadas.

A Europa parece prestes a regressar àquilo que viveu em março, com novos confinamentos à escala nacional, após o falhanço dos isolamentos locais em conter a maré de infeções pela pandemia de covid-19. A República da Irlanda foi o primeiro país da União Europeia a mergulhar num novo recolher obrigatório geral – desde a meia-noite de ontem e com uma duração de seis semanas –, com o Governo a decretar alerta máximo de emergência, obrigando as pessoas a permanecer nas suas habitações e encerrando o comércio local, nomeadamente bares e restaurantes. No entanto, tanto as escolas como as creches se mantêm abertas, havendo, porém, indicação para a população sair de casa apenas para estudar, trabalhar ou para outros propósitos essenciais. Reuniões familiares?_Não são permitidas, bem como fazer visitas a outras casas. Para a habitual corrida matinal, só num raio de cinco quilómetros de casa, uma vez que as deslocações não essenciais estão limitadas.

Já o País de Gales entrará a partir de amanhã num confinamento temporário de cerca de duas semanas, entre 23 de outubro e 9 de novembro. Neste caso, as pessoas só podem sair à rua para questões urgentes ou para fazer exercício físico. Todo o comércio não essencial, como cabeleireiros, bares e restaurantes, vai estar encerrado._Na educação, escolas primárias e universidades vão reabrir após a primeira semana de confinamento, à exceção das escolas secundárias, que só vão entrar em funcionamento de forma parcial.

 

Espanha sem folgas

A situação epidemiológica em Espanha também preocupa – atingiu ontem a marca de um milhão de casos positivos de covid-19. Com o aumento de casos, o governo de Madrid, por seu turno, tem sido pressionado pela pandemia e está a ponderar um novo confinamento na região, declarando estado de emergência. Mas este recolher obrigatório, em caso de confirmação, será apenas em determinadas horas do dia, à semelhança de Itália e França.

“Nesta situação em que vivemos com a pandemia, qualquer opção que envolva restrição de atividade ou de mobilidade deve ser estudada”, sublinhou o responsável pelo departamento da Saúde da comunidade autónoma de Madrid, Enrique Ruiz Escudero.

No norte de Espanha, na comunidade de Navarra, as medidas apertam hoje, com um confinamento de duas semanas e a população muito mais limitada do que em Madrid: só podem abandonar a sua habitação para estudar, trabalhar ou prestar cuidados a familiares necessitados. No que diz respeito ao comércio, as lojas têm um horário mais reduzido, sendo obrigadas a encerrar às 21 horas, e só podem estar abertas com 40% da capacidade total.

 

Itália e frança com restrições faseadas

Correndo o risco de ter os hospitais sobrecarregados devido ao aumento do número de casos de covid-19 nos últimos dias, Itália terá a partir de hoje a região da Lombardia – uma das mais afetadas na primeira vaga da pandemia – num regime de recolher noturno obrigatório, sendo proibido sair de casa entre as 23 horas e as cinco da manhã. E, no sul italiano, a região da Campânia também entrará, a partir de segunda-feira, neste regime.

Já em França, de acordo com o Presidente Emmanuel Macron, nove regiões gaulesas – Montpellier, Lyon, Aix-en-Provence, Grenoble, Toulouse, Saint-Étienne, Lille, Ruão e Île-de-France – estão desde sábado em recolhimento noturno obrigatório durante seis semanas, sendo obrigatório permanecer em casa entre as 21 horas e as seis da manhã.

 

Outras restrições e falhanços

No Reino Unido, a implementação de um sistema de semáforos nas zonas mais afetadas – classificando as regiões pelo seu risco de contágio, de médio, alto ou muito alto – tem sido um autêntico fracasso. Mas outras medidas restritivas também já foram implementadas na segunda-feira:_bares e restaurantes encerrados a partir das 22 horas, mas sem recolher obrigatório. No entanto, o Grupo de Aconselhamento Científico para Emergências (SAGE na sigla inglesa) tem solicitado um confinamento nacional temporário, proposta que tem sido recusada pelo Governo.

Já no que respeita à Alemanha, o confinamento passa por uma região que tem sido muito afetada pelo novo coronavírus, a Baviera, que está isolada durante esta semana. Além desta região, existem outras que vários políticos têm proposto ao Governo germânico para um novo confinamento, mas até agora sem sucesso.

Um verdadeiro tsunami de novos casos está igualmente a atingir a Bélgica. O Governo impôs o recolhimento obrigatório entre a meia-noite e as 5h00, mas os virologistas já alertaram para a necessidade de voltar ao confinamento geral caso os serviços de saúde fiquem sobrelotados. Restaurantes e cafés, por sua vez, estão de portas fechadas desde segunda-feira.

Quanto aos países nórdicos, a Suécia, que há três semanas registou o maior aumento de casos de covid-19 desde abril, prepara-se para adotar medidas mais rígidas que ainda serão discutidas pelo Governo. Este país, recorde-se, já conta com mais de 100 mil casos desde o início da pandemia.

Ler Mais


Especiais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×