1/11/20
 
 
Dez filmes a não perder (não só) em Vila do Conde

Dez filmes a não perder (não só) em Vila do Conde

Cláudia Sobral 05/10/2020 15:33

Até porque nesta edição não haverá pretexto. Arrancou neste sábado o 28.º Curtas Vila do Conde. Com uma competição nacional a juntar os regressos de Carlos Conceição, Cláudia Varejão Sandro Aguilar e muitos outros, com Godard, com (de novo) Buster Keaton e com Isaki Lacuesta em foco. Em ano de lotação limitada nas salas, o Curtas regressa até ao próximo domingo e não só em Vila do Conde, nem no Porto, Lisboa e Faro, cidades a que se estende: grande parte do programa pode também ser visto online.

Um Fio de Baba Escarlate

Presença já regular no festival, Carlos Conceição, a quem o Curtas dedicou no ano passado um dos seus focos, acompanhado da exibição de Serpentário, regressa em 2020 com o seu mais recente filme. Em estreia mundial, Um Fio de Baba Escarlate é um dos 14 filmes que integram a Competição Nacional (nove em estreia absoluta). Com os recorrentes João Arrais e Matthieu Charneau e Joana Ribeiro, Leonor Silveira e Teresa Madruga, Carlos Conceição regressa a um dos universos múltiplicos que caracterizam a sua obra: entre um “fetichismo e sadismo simbólicos” e a iconografia religiosa.

Armour

O Curtas descreve-o como um “filme experiência” mas de Armour, a mais recente curta-metragem de Sandro Aguilar, poderia dizer-se ser um álbum de imagens em movimento. Um álbum mental, construído sobretudo de paisagens, pedaços do momento da vida de um homem, o momento em que ela se desmorona (ou quase). Construído a partir de imagens recolhidas pelo realizador numa residência artística que fez no Canadá, Armour, que recorre à metáfora da armadura, chega ao curtas na Competição Nacional.

Más Que a Mi Suerte

Em 2019, foi à espanhola Elena López Rivera que o Curtas entregou o prémio de Melhor Filme da Competição Internacional. Los Que Desean, um filme que rodou entre pombos na sua terra natal, marcou então a primeira passagem da cineasta pelo festival, que este ano a escolheu para, ao lado de Ana Elena Tejera e de Ana Maria Gomes, compor uma nova secção não competitiva - New Voices - que pretende abrir espaço à descoberta de realizadores emergentes. Realizadoras, no caso da sua Más Que a Mi Suerte (2007) é a primeira obra de Riera e uma das quatro que o Curtas exibe.

Jean-Luc Godard: Pro-Motion

Trailers, anúncios, telediscos, peças de publicidade institucional. De forma inesperada nos chega Godard nesta revisitação proposta pelo Curtas Vila do Conde à 28.ª edição. Mas inesperado é este ano mesmo. O programa com curadoria de Nicole Brenez divide-se em três sessões, organizadas de forma cronológica. E a ele juntam-se ainda duas curtas - Une Histoire D’ Eau, correalizado com François Truffaut, e Lettre à Freddy Buache, escolhidas por João Lopes para acompanhar One Week, de Buster Keaton, na celebração do seu centenário.

Nimic

Os grandes nunca deixam as curtas, e isto é um statement que a direção do festival afirma com uma sessão. Uma sessão de celebração da curta-metragem em que são apresentadas um conjunto de obras de cineastas reconhecidos internacionalmente já estabelecidos internacionalmente em que tanto cabem Potemkin Steps (2019), de João Pedro Rodrigues, como as mais recentes curtas de Jonathan Glazer, José Luis Guerin e do renomadíssimo grego Yorgos Lanthimos, que assina, numa produção entre Alemanha, Reino Unido e EUA, Nimic.

Casa de Antiguidades

Cristovam, um homem negro de idade avançada emigrado do interior de Goiás para uma comunidade de austríacos no sul do Brasil, terá de usar de recorrer à violência para enfrentar um grupo ultraconservador. Um filme que “também se poderia intitular Uma Casa chamada Brasil”, um filme que fez no sábado a abertura do festival mas que terá uma nova sessão, no próximo. Estreia na longa-metragem do brasileiro João Paulo Miranda Maria, de quem o Curtas exibiu (e recupera) as curtas-metragens em edições anteriores. 

La Bobine 11004

Em 1946, oito meses após os bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki, uma equipa do exército norte-americano realizou um documentário sobre a derrota japonesa. Das imagens registadas no Japão, uma das bobines, a a bobine 11004, foi classificada como “defense secret” e secreta permaneceu até há seis anos, quando Mirabelle Fréville tropeçou nela numa pesquisa para um outro filme. A partir daí, dessas imagens surpreendentemente registadas a cores, construiu, com uma nova montagem e banda sonora original, esta curta documental que integra a competição internacional.

Diarios del Exílio

Também parte da Competição Internacional, Diarios del Exilio é o filme que Irene Gutiérrez montou a partir de excertos de filmes caseiros, familiares, dos em película de 8mm entre 1937 e 1977 por famílias espanholas que viveram no exílio durante do franquismo. Do norte europeu à América Latina. Um documentário a refletir sobre o maior trauma coletivo da História espanhola contemporânea, que divulga também imagens inéditas de figuras como a comunista basca Dolores Ibárruri, autora do célebre No pasarán, de José Antonio Aguirre, de Indalecio Prieto ou de Marcos Ana.

O Sentido da Vida: Esboço do Primeiro Ato

Até já Miguel Gonçalves Mendes terá perdido a conta aos anos que se passaram desde que deu início à saga em que se transformou O Sentido da Vida. E não, não é uma estreia definitiva esta que se faz no Curtas Vila do Conde. OSentido da Vida: Esboço do Primeiro Ato é ainda um “esboço”, como indica o título, mas que o realizador se dispõe a partilhar com o público, deste filme em que pretende entender o que nos une como humanidade “num tempo em que o sistema está em colapso e pouco temos em que acreditar”.

La Jetée

Depois da destruição de Paris numa terceira guerra mundial, uma guerra que Chris Marker imaginou em 1962 como uma guerra nuclear, um grupo de sobreviventes, escondidos no subsolo, faz experiências com viagens no tempo como forma de fugir à tragédia. Uma curta de ficção científica para a qual não terá havido a nível global um tempo mais certo do que este. Com Boro In The Box, La Jetée compõe a sessão de homenagem a Vicente Pinto Abreu, melómano, cinéfilo e amigo íntimo do festival falecido recentemente.

 

 

 

 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×