26/10/20
 
 
Gastos em casa. Aprenda a equilibrar o seu orçamento

Gastos em casa. Aprenda a equilibrar o seu orçamento

Sónia Peres Pinto 28/09/2020 20:02

Para aqueles portugueses que ainda continuam em casa – em teletrabalho ou não –, é natural que as despesas subam. O caso da luz e da água é um dos exemplos, mas não fica por aqui. Tenha cuidados redobrados com estes gastos para evitar desagradáveis surpresas. Siga à risca os conselhos deixados pelo i e, no caso de ainda não ter optado por algumas mudanças de comportamento, está no momento ideal para o fazer.

Consumo de eletricidade

Uma das despesas que disparam é a conta da luz. De acordo com as contas da Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, a fatura pode aumentar, em média, 20% para as famílias portuguesas que continuem em casa. Segundo os especialistas da associação (para um casal com dois filhos e uma potência contratada de 6,9 kVA), serão mais 25 euros por mês na conta da luz para quem tenha tarifa bi-horária e mais seis euros para quem tenha tarifa simples.

Para evitar gastos desnecessários, a Deco aconselha os portugueses a fazer uma gestão cuidadosa dos aparelhos que estão em funcionamento, de forma a não usar aqueles que podem ser menos necessários. Além disso, sugere que não se liguem em simultâneo eletrodomésticos com consumos significativos de eletricidade – como cafeteiras elétricas, fornos elétricos, máquinas da roupa e da loiça e aspiradores – para reduzir os picos de consumo na rede elétrica.

As dicas não ficam por aqui. Na altura de lavar roupa e loiça, use as máquinas com a carga completa. Desligue os equipamentos da corrente, para não ficarem a consumir em standby, e use extensões com interruptor, por exemplo. E acenda apenas as luzes que são precisas.

Gastos com gás

No gás, seja natural ou de botija, o consumo também irá aumentar, com efeitos imediatos nos gastos. As contas da Deco são simples: mais quatro euros mensais no gás natural e mais cinco euros no gás de garrafa. Para contornar despesas extra, a associação lembra que, no caso de precisar de recorrer a um aparelho de aquecimento portátil, deverá reduzir a sua utilização ao máximo. “No caso do termoventilador, ligue-o apenas quando alguém estiver na divisão e desligue-o assim que sair ou for dormir. Regule o termóstato para uma temperatura que permita que vá ligando e desligando. Caso use um radiador a óleo, mantenha-o em funcionamento o menor tempo possível e regule o termóstato para, no máximo, 21 oC”, lembra a associação.

Já se usar um aparelho de ar condicionado, regule-o para 20 a 21 oC no inverno. “Ligue o equipamento quando estiver na divisão e desligue-o se sair por um período prolongado”, aconselha a entidade.

Também deve ter cuidados no momento de cozinhar. É importante escolher os recipientes adequados para ter uma maior rentabilidade, e coisas tão simples como cortar os alimentos em pedaços pequenos para que cozinhem mais depressa podem fazer toda a diferença.

Despesa com água

Uma das melhores formas de poupar no dia-a-dia é, sem dúvida, reduzir o consumo de água. Quase todos gastamos água desnecessariamente e, estando mais tempo em casa, então o cenário poderá ser agravado sem nos apercebermos disso. O problema chega no fim do mês, quando os valores das contas são mais altos do que deveriam ser.

Mas como poupar? Na casa de banho, opte por fechar a torneira enquanto está a lavar os dentes ou o cabelo, por exemplo. Este pequeno gesto, aplicado diariamente, pode representar uma poupança muito significativa na sua fatura mensal. Além disso, deve optar pelo duche, já que consome entre 30 e 80 litros de água, ao contrário de um banho de imersão, cujo consumo pode chegar aos 200 litros.

Já na cozinha, o que mais consome água são as máquinas, seja a de lavar loiça, seja a de lavar roupa. Nesse sentido, procure colocar as máquinas a trabalhar apenas quando estas tiverem a carga completa. Hoje em dia, também já existem máquinas que têm a opção de meia carga, de forma a investir na poupança.

Use água fria sempre que possível para que possa poupar na água quente. Além disso, evite descongelar alimentos com a água a correr – faça um esforço por descongelar naturalmente ou use o micro-ondas.

Idas ao supermercado

Estando mais tempo em casa, é de prever que as despesas com o supermercado sejam superiores em relação a uma época normal. Ainda assim, há truques que pode seguir para tentar controlar ao máximo gastos extra. O ideal é levar uma lista das coisas que tem de comprar. A explicação é simples: se souber exatamente o que precisa e se se guiar exclusivamente por essa lista, corre menos riscos de comprar produtos desnecessários e, muitas vezes, caros.

Outro conselho de ouro passar por estar atento aos folhetos dos supermercados. Desta forma fica a par de todas as promoções e descontos e poderá optar pela superfície que apresentar os produtos mais baratos.

E como a maioria das marcas está a fazer promoções, nem sempre compensa escolher as marcas brancas, que até há pouco tempo eram muitas vezes encaradas como as campeãs dos preços baixos.

Mas os cuidados não ficam por aqui. Não se esqueça que, por vezes, compensa levar embalagens maiores e mais caras. Se comparar com o pacote mais barato, vai estar a pagar mais por levar dois dos pequenos do que um dos grandes.

Tenha sempre em atenção os prazos de validade.

Controle o preço dos combustíveis

Mesmo estando em casa, há quem opte por encher o depósito do carro para o caso de existir qualquer eventualidade. Todas as semanas, os preços dos combustíveis sofrem alterações. Para esta semana, as boas notícias continuam. O preço dos combustíveis deverá manter-se a partir desta segunda-feira. O preço do gasóleo deverá fixar-se nos 1,255 euros por litro e a gasolina nos 1,443 euros por litro.

Além disso, as quatro grandes petrolíferas – Galp, Repsol, BP e Cepsa – continuam a apostar em cartões de fidelização, dando pontos que podem trocar-se pelos mais variados produtos. Ao mesmo tempo, as petrolíferas tiveram de encontrar promoções alternativas que respondessem à principal aspiração dos clientes: descontos na hora e no preço final. Daí a sua aposta em cartões de desconto. Outra aposta das marcas é o desconto por dia ou ao fim de semana, a iniciativa que mais impacto tem no aumento das vendas e que até consegue trazer de volta alguns daqueles antigos clientes que foram seduzidos pelos supermercados.

Conte ainda com os postos de combustíveis com marca branca.

Check-up às suas despesas

Por estar em casa, é natural que tenha mais tempo para fazer um verdadeiro check-up ao seu orçamento familiar. Uma das regras de ouro passa por avaliar a saúde das suas finanças, isto é, saber para onde está a ir o dinheiro. Para isso, faça um mapa de receitas e despesas, apontando diariamente todos os encargos, do empréstimo da casa ao café. Só fazendo uma lista exaustiva das despesas vai ser possível avaliar o caminho que o seu dinheiro está a tomar. Além disso, será possível avaliar o peso das diferentes despesas no orçamento familiar, de forma a reequilibrar as contas lá de casa.

Por exemplo, no caso das despesas com a casa (empréstimo, juros, água, luz, gás, etc.), o ideal é que elas não pesem mais de 35% a 40% no seu orçamento total.

Depois de fazer o mapa de receitas e despesas, deve procurar identificar os gastos desnecessários que podem ser reduzidos ou eliminados sem que isso afete o seu bem-estar. A partir daí poderá levar a cabo algumas mudanças que poderão fazer toda a diferença no final do mês. É o caso, por exemplo, do consumo de televisão, telemóvel e internet (pode aproveitar para renegociar o seu pacote de telecomunicações) ou até mesmo do seu seguro do crédito à habitação.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×