26/10/20
 
 
Estocolmo 1912. A morte de Lázaro, o Ícaro de pés de cera

Estocolmo 1912. A morte de Lázaro, o Ícaro de pés de cera

Afonso de Melo 22/09/2020 08:35

Em ano de Jogos Olímpicos (que não há), recordem-se as primeiras presenças portuguesas, com estreia em Estocolmo reduzida a 6 atletas e marcada pelo luto.

Vivíamos a quarta edição dos Jogos Olímpico da Era Moderna e, pela primeira vez, Portugal surgia presente por entre a lista de 28 países participantes. Aceitemos de bom grado que foi um momento inesquecível. No dia 6 de julho, num estádio repleto e ansioso, o desfile das nações teve um brilho extraordinário. Depois do discurso de boas-vindas proferido pelo príncipe Gustavo Adolfo, futuro rei e presidente do Comité Olímpico Sueco, 2541 atletas encheram o peito de garbo – 2484 homens e 57 senhoras. Entre eles, António Stromp, Mathias de Carvalho, Francisco Lázaro e Armando Luzarte Cortesão, que iriam participar em provas de atletismo, Joaquim Vital e António Pereira, que representariam o país nas provas de luta, e Fernando Correia, que se bateria na esgrima. Francisco Lázaro erguia o estandarte da República, ainda recente. A viagem até lá fora longa: três dias de navio de Lisboa a Southampton, depois outra travessia marítima até à Dinamarca e, finalmente, comboio.

Leia o artigo completo na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.

 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×