12/4/21
 
 
Altice. Liderança assumida nos serviços de comunicação

Altice. Liderança assumida nos serviços de comunicação

Oficina i 18/09/2020 11:14

A Altice Portugal continua a crescer: Chegou a junho com um total de 5,3 milhões de casas com fibra ótica e quer chegar a mais 500 freguesias ainda este ano. Além disso, a MEO é o primeiro operador líder no mundo a disponibilizar o seu serviço de TV simultaneamente em três plataformas.

A Altice Portugal chegou a junho com uma cobertura total de 5,3 milhões de casas que estão em condições de solicitar acessos às redes de fibra ótica da marca MEO, um marco do qual a empresa se orgulha. Segundo a operadora, apostar no país e assumir-se enquanto motor de desenvolvimento económico e social, para lá de todas as fronteiras e densidades populacionais, é algo que a Altice Portugal defende desde sempre.

O investimento no país, em especial no que respeita ao reforço da expansão de fibra ótica de última geração, é um projeto que a operadora tem vindo a levar a cabo em prol de um país mais equilibrado no acesso às oportunidades, não olhando à dimensão dos territórios – um investimento privado, autónomo e totalmente voluntário que permite que os 308 municípios portugueses beneficiem de redes de fibra ótica de última geração.

Mesmo em contexto económico adverso, a empresa manteve inalterada a sua estratégia de investimento no país e no setor, continuando a aposta na expansão da infraestrutura de fibra em todo o território, na inovação tecnológica e na diversificação do portefólio de produtos e serviços.

No final de junho deste ano antecipou a meta definida para o final do mesmo, de 5,3 milhões de casas passadas com fibra ótica, após a adição de 194 mil novas casas com fibra ótica só no segundo trimestre. Esta performance e ritmo de construção, superior a qualquer outra operação em Portugal, torna o país um dos primeiros países europeus com cobertura praticamente integral de fibra ótica. Este investimento, transversal a todo o território e que chega às regiões mais remotas, a 27 mil lugares em 308 concelhos, representa mais de 4,5 milhões de quilómetros de fibra.

A fibra ótica, defende a Altice, apresenta um conjunto de vantagens para os clientes, dado que é uma infraestrutura mais robusta, simples e fiável em termos tecnológicos, oferece uma maior qualidade de serviço e tem um enorme potencial para a oferta alargada de novos serviços a clientes residenciais, empresariais, escolas e hospitais. É importante que qualquer habitante de qualquer canto do país tenha exatamente as mesmas oportunidades e acessos de um habitante de Lisboa.

 

Líder no mundo

Atuando num setor tão dinâmico e sendo tantas vezes o próprio impulsionador da inovação tecnológica, o MEO promove permanentemente o desenvolvimento da sua interface de TV, ao mesmo tempo que protagoniza a integração do seu ecossistema nas plataformas tecnológicas mais relevantes para os seus clientes.

Desde cedo, o MEO, marca do segmento de consumo da Altice Portugal, tem dado provas do seu pioneirismo e na transformação na forma de se consumir TV em Portugal. Depois de, em 2016, ter sido o primeiro operador a lançar a primeira set-top-box Ultra HD 4K em Portugal, em novembro de 2019 voltou a revolucionar o mercado ao lançar o MEO na Apple TV e, agora, foi a vez de entrar na Android TV, tornando-se assim o primeiro operador líder no mundo disponível simultaneamente nos principais ecossistemas/plataformas tecnológicos mundiais.

Este novo lançamento – Android TV –, tal como o lançamento na Apple TV, no ano passado, teve como pressuposto a massificação e expansão da experiência MEO a outros ambientes tecnológicos, permitindo mais uma vez aliar o melhor da tecnologia à melhor oferta de conteúdos.

“Estamos na pole position do setor e vamos continuar. Se revolucionámos o modo de ver TV em Portugal, hoje, de forma continuada e pioneira, voltamos a dar resposta às tendências e aos hábitos de consumo dos nossos clientes através da inovação, da tecnologia, da experiência e da qualidade. Esta é mais uma prova do nosso espírito de liderança: marcamos de forma constante a agenda do setor e do mercado, surpreendemos tudo e todos ao inovar onde mais ninguém inovou”, defende Alexandre Fonseca, presidente executivo da Altice Portugal.

A opinião é partilhada por João Epifânio, CSO B2C da Altice Portugal: “O mundo passou um novo briefing nestes últimos meses, ao qual o MEO respondeu de forma determinada! Reposicionámos a nossa marca, apresentámos o novo serviço de eletricidade, o MEO Energia, e hoje lançámos, em colaboração com o Google, uma nova experiência de TV que explora a complementaridade de ecrãs e funcionalidades entre o smartphone e a TV. O MEO é, assim, o único operador líder a nível mundial a disponibilizar o seu serviço de pay TV em três plataformas distintas”, diz.

A Altice quer reforçar a aposta numa experiência centrada nos conteúdos, melhorando assim a experiência dos clientes. Nesse sentido, a empresa garante que vai continuar a capitalizar a capacidade do MEO, através de parcerias estratégicas, e a criar de raiz ofertas combinadas com os conteúdos mais seguidos em cada instante.

 

MEO, Líder de TV

Dando provas irrefutáveis do sucesso da sua estratégia e concretizando aquela que era até aqui uma das suas grandes ambições, a Altice Portugal assinala um marco totalmente inédito ao conquistar a liderança incontestável nos serviços de comunicações em Portugal. À sua liderança no segmento móvel, telefone fixo, banda larga fixa e pacotes de serviços, junta-se agora a maior quota de mercado no segmento de TV, no primeiro semestre do ano, atingindo os 39,8%.

Pela primeira vez na história das telecomunicações, o operador incumbente é destronado por um operador com “apenas” 12 anos de existência.

Os mais recentes indicadores do regulador das comunicações em Portugal confirmam a liderança do MEO, marca do segmento de consumo da Altice Portugal, na TV por subscrição. Desde 2008 que o serviço ganhava terreno no segmento, destronando agora o operador incumbente – algo histórico e nunca antes visto no setor das telecomunicações a nível mundial – e confirmando de forma inequívoca a vitalidade competitiva e concorrencial do setor em Portugal.

À nova liderança na TV juntam-se as lideranças, que já detínhamos, no móvel (45,4%), no telefone fixo (45%), na banda larga fixa (40,4%) e nos pacotes de serviços (40,5%), o que coloca a Altice Portugal como o operador líder em todos os serviços, em Portugal.

“O caminho que temos percorrido, aliado à nossa estratégia e ambição, só antevia um destino: a liderança total. É algo que sabíamos que chegaria a qualquer momento, fruto da estratégia definida há praticamente três anos pela atual equipa de gestão, que assumiu o cliente enquanto principal foco e a qualidade de serviço enquanto pedra basilar do investimento. Uma estratégia alicerçada na inovação tecnológica, no pioneirismo e na proximidade ao país e às pessoas. Uma estratégia vencedora, porque posta em prática pelos melhores profissionais, os da Altice Portugal”, diz Alexandre Fonseca.

 

P&R com Alcino Lavrador, General Manager da Altice Labs

“De nada vale uma boa ideia se não a colocarmos ao serviço da sociedade”

Qual a importância do Altice International Innovation Award?

É mais uma evidência sólida da valorização da inovação como prioridade estratégica da Altice Portugal não só para o desenvolvimento de um ecossistema de parcerias fundamentais, mas também para o do próprio país, cuja economia e capacidade competitiva depende diretamente do investimento em inovação tecnológica. E, nesta área, a Altice Portugal é inquestionavelmente, há muito tempo, um dos maiores investidores em Portugal. É importante para o grupo estar aliado a projetos disruptivos que oferecem propostas de valor únicas e com forte progresso face ao estado da arte, pois permite-lhe, por um lado, reforçar o compromisso com a sociedade e sua evolução e, por outro, com os clientes, entregando-lhes soluções avançadas e distintivas face à concorrência.

Qual a dimensão que pretendem dar a este prémio?

Sob o objetivo de reforçar o posicionamento de Portugal no desenvolvimento da inovação, criando condições para potenciar o talento nacional e divulgá-lo dentro e fora de portas, depois do sucesso da primeira edição, em 2017, foi decidido alargar o seu âmbito e estender o prémio a outras geografias onde a Altice está presente, passando a chamar-se Altice International Innovation Award (AIIA) e abrangendo Portugal e França. Todas as edições do Altice International Innovation Award têm reconhecido projetos e soluções cuja inovação tecnológica é base fundamental e que dão resposta não só a necessidades futuras, mas também presentes, do dia-a-dia, contribuindo para o progresso tecnológico e social. Desde a primeira edição, já recebeu mais de 200 candidaturas, tendo os seis projetos vencedores sido premiados e apoiados num valor total superior a 200 mil euros. O Altice International Innovation Award oferece ao primeiro lugar da categoria Startups um prémio no valor de 50 mil euros e a possibilidade de concretização de um piloto ou prova de conceito com o grupo Altice, com a duração mínima de nove meses. Na categoria Academia distingue o vencedor com um prémio no valor de 25 mil euros. É, assim, o prémio de inovação nestas áreas com maior valor monetário. Mas, sem descurar esta dimensão, a capacidade de proporcionar à startup vencedora uma prova de conceito no mercado e de apoiar com mentoria, o amadurecimento da ideia de negócio, são, sem dúvida, fatores relevantes a ter em conta e muito apreciados.

Qual o segredo do sucesso deste prémio que já vai na sua quarta edição? 

Pelo feedback dos diversos finalistas, acreditamos que o sucesso deste prémio está relacionado com a amplitude geográfica da exposição dada tanto aos projetos finalistas como aos projetos vencedores. O facto de estarmos integrados num grupo internacional, com operações em Portugal, França, Estados Unidos, Israel e República Dominicana, além dos mercados de atuação da própria Altice Labs, com produtos e soluções em mais de 60 países, torna o AIIA um meio bastante interessante para divulgação e projeção, principalmente no caso das startups que pretendem internacionalizar-se. Em conjunto com o ponto anterior, outro dos aspetos que poderá justificar o sucesso desta iniciativa está relacionado com a importância e valor que um “selo” Altice Portugal, empresa de excelência e onde o saber-fazer e a inovação são fundamentais, tem para a credibilidade e validação de um projeto, atestando o seu valor e reconhecendo-o perante o mercado. A promoção do Altice International Innovation Award representa a capacidade de colocar ao serviço da sociedade um legado incontornável de conhecimento e da inovação, infraestruturas, plataformas, soluções e parcerias já consolidadas que podem incluir a tecnologia e o valor das entidades premiadas.

Qual o papel da academia no mundo da inovação? 

De nada vale uma boa ideia se não a colocarmos ao serviço da sociedade. Quantos projetos de imenso valor são desenvolvidos nos programas de mestrado e doutoramento das nossas universidades e são depois deixados na gaveta? O Altice International Innovation Award pretende dar ao melhor projeto académico uma oportunidade de ir mais além da tese de mestrado ou doutoramento. Poder dar ao projeto uma dimensão mais prática e algum apoio na “industrialização” da ideia pode ser o pequeno passo para criar uma startup de sucesso associada à ideia. O prémio na categoria Academia acaba também por ajudar os alunos promovendo cenários de adequação ao mercado de trabalho, ao mesmo tempo que identifica e expõe talento ao mundo empresarial. O Altice International Innovation Award tem, desde a primeira hora, parceria com a iniciativa Born from Knowledge (BfK), da ANI – Agência Nacional de Inovação. O programa BfK tem como objetivo promover uma cultura de valorização do conhecimento científico e tecnológico em Portugal. Esta distinção reconhece projetos e empresas “nascidas do conhecimento” e que mais se destaquem em atividades de I&D, nomeadamente colaborativa.

Portugal está mais empreendedor? 

Há, sem dúvida, uma maior atenção à capacidade empreendedora e uma maior apetência para correr riscos em Portugal. Claro que as transformações digitais, a conectividade de banda larga disponível em praticamente todo o lado e a computação em nuvem fazem com que uma infraestrutura tecnológica de suporte a um projeto ou startup seja mais acessível, minimizando o investimento necessário. Demos um enorme salto nos últimos anos na produção de conhecimento científico. Falta-nos agora dar o mesmo salto na capacidade de transformar esse conhecimento em valor para a sociedade, através da incorporação em produtos e serviços. Ferramentas como o Altice International Innovation Award são essenciais para ajudar a dar esse salto e para promover a capacidade tecnológica e o talento nacionais.

Quais os grandes desafios para a inovação? 

O maior desafio é encontrar uma ideia que funcione, isto é, que resolva uma necessidade concreta de um público-alvo concreto, motivo pelo qual se diz que uma inovação é uma invenção que encontrou um lugar no mercado. Há muito boas ideias, mas nem todas vingam no mercado, seja pela inadequação às reais necessidades dos potenciais utilizadores, seja pelo time-to-market tardio ou, simplesmente, por um posicionamento frágil e desadequado. É necessário testá-las, corrigi-las e melhorá-las. É, de facto, fundamental olhar para o contexto e para o mercado, saber onde uma ideia se encaixa e como poderá tirar total partido de todo o seu potencial. Ter a Altice/Altice Labs como parceira e no suporte à industrialização e internacionalização dos projetos vencedores do Altice International Innovation Award confere um apoio extraordinário para ultrapassar as barreiras de entrada no mercado.

 

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×