23/9/20
 
 
Cristina Ferreira. “É uma atleta de alta competição da televisão”

Cristina Ferreira. “É uma atleta de alta competição da televisão”

Facebook Cristina Ferreira Daniela Soares Ferreira 15/09/2020 09:41

Cristina Ferreira volta à TVIpara ganhar e os números das audiências falam por si. O Jornal das 8, por exemplo, conseguiu a maior audiência desde janeiro de 2019, exatamente a altura em que a apresentadora da Malveira se estreou na SIC. Carlos Coelho diz ao i que o sucesso está relacionado com vários fatores como a natureza empreendedora, a resiliência e a falta de concorrência. 

“A TVI não ganhou hoje, não vai ganhar amanhã. Eu ainda não apareci na televisão…” A frase é de Cristina Ferreira e remonta ao início do mês de setembro, quando a SIC anunciou ter iniciado o mês em primeiro lugar no que diz respeito às audiências. Duas semanas depois, o cenário inverte-se. Cristina Ferreira já está na TVI e a estação de Queluz terminou este domingo a liderar as preferências do público português. 

Os dados são claros: em dia de grandes mudanças – como a apresentação de novos estúdios –, a TVI terminou a liderar o dia com 19,9% de share. O destaque vai exatamente para o momento em que a apresentadora da Malveira foi entrevistada por Pedro Pinto no Jornal da 8, durante cerca de 18 minutos, e que prendeu ao ecrã cerca de 1,54 milhões de espetadores. Já o Jornal das 8 contou com uma média de 1,29 milhões de espetadores, o que significa a maior audiência desde janeiro de 2019.

Depois das novidades apresentadas, a TVI estreou o programa Big Brother Revolução, que alcançou picos de 1,5 milhões de telespetadores. 

Em comunicado, a estação de Queluz congratula-se com os resultados. “A TVI está, naturalmente, satisfeita com as conquistas deste domingo e agradece a confiança dos espetadores e o empenho dos seus profissionais. Há vários meses que a estação se preparava para alcançar melhores resultados, que começam agora a manifestar-se com esta inequívoca prova de vitalidade”.

Para tentar combater a estreia do programa, a SIC transmitiu o documentário Ângelo Rodrigues – Toda a História que, apesar de ter conseguido boas audiências, não superou o canal concorrente. Segundo a SIC – que registou um share de 18,8% no total do dia –, o documentário, que foi o programa mais visto da estação de Paço de Arcos no domingo, contou com 1,26 milhões de telespetadores, 13,4% de rating e 24,4% de share. Já o Jornal da Noite teve um rating de 11,7%, 23% de share e 1,11 milhões de espetadores. 

“Este sucesso todo não é um acaso” O sucesso de Cristina Ferreira é conhecido e a apresentadora registou o seu nome como marca nacional em 2015. Em 2017 registou também a Love – Cristina Ferreira. Mas os seus negócios vão muito além da televisão: conta com uma revista, uma marca de roupa e de calçado, tem um perfume, vernizes, o blogue Daily Cristina e as contas de Facebook e Instagram – além de empresas familiares como a DoCasal Investimentos, através da qual vai comprar a sua participação na Media Capital. Segundo um estudo do Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM) de 2017, o império da nova acionista da Media Capital era avaliado em 10 milhões de euros. 

Mas o que leva a apresentadora a este sucesso? Carlos Coelho, especialista em marcas, não tem dúvidas: “Em primeiro lugar há de vir de uma energia interior. Há uma coisa que é intrínseca, da sua natureza, de uma natureza empreendedora, é da pessoa”, diz ao i. Mas destaca mais fatores como a “falta de concorrência”. “Imagine um produto que tem menos concorrência que outros e, portanto, há um espaço feminino mais aberto. No caso masculino, há mais opções. Há aqui uma disponibilidade de espaço para isso”, avança Carlos Coelho. Em terceiro lugar está o “sentido de palco”. 

Leia o artigo completo na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.

 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×