23/10/20
 
 
Seis meses de covid-19. Números da pandemia

Seis meses de covid-19. Números da pandemia

Mafalda Gomes Marta F. Reis 02/09/2020 08:33

No último ano, ouvir falar de casos registados, mortes, curvas achatadas ou não tornou-se algo corriqueiro, fosse nos jornais, nas televisões ou nas conversas de café. Recorde as principais reviravoltas da pandemia

2 Depois de semanas de suspeitas, os primeiros dois casos de covid-19 foram confirmados, no Porto, a 2 de março. Um médico que estivera em Itália e um homem que tinha viajado de Espanha foram os primeiros dois doentes diagnosticados no país, numa altura em que a covid-19 j á tinha feito soar os alarmes em todo o mundo. Olhando para trás, era o princípio do princípio. Na altura estavam confirmados em todo o mundo 88 mil casos de infeção pelo novo coronavírus, apenas 8774 fora da China. Um mês antes, Portugal tinha repatriado de Wuhan os portugueses que quiseram voltar a casa, todos com teste negativo para o vírus. Apesar de todos os receios e do estigma, Portugal importaria apenas um caso da China ao longo dos meses da pandemia.

1824 A covid-19 matou 1824 pessoas no país, a maioria idosos com mais de 80 anos. Quase 40% das vítimas mortais eram residentes em lares, o epicentro do flagelo da covid-19 em muitos países europeus, onde ocorreram 60% das mortes em alguns países. Ao longo dos últimos meses, em particular em julho, mas também em abril, aumentou também a mortalidade por outras causas, apesar de ter diminuído a sinistralidade rodoviária durante o estado de emergência. Este ano, até ao final de agosto morreram 80 261 pessoas no país, mais 4178 do que no ano passado. A covid-19 pode ser associada a 2,2% das mortes.

Leia o artigo completo na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×