26/9/20
 
 
Seis maneiras de entrar em setembro

Seis maneiras de entrar em setembro

Jornal i 01/09/2020 22:01

Desde o início do desconfinamento não terá havido para o setor cultural outro mês igual a este. A acertar o passo para o que se espera um regresso definitivo das atividades culturais, entre concertos, festivais e ciclos de cinema, setembro começa com um drink no Palácio da Ajuda em que o setor fará uma comunicação ao Governo. Um protesto, mas ainda sim um programa possível - afinal, dizem, estamos todos convidados.

Um drink pela Cultura

Palácio nacional da ajuda (lisboa), 1 de setembro

Sob o mote #CulturaSomosTodos, a plataforma cívica Convergência pela Cultura convocou, em colaboração com diversos agentes culturais, uma mobilização para hoje, o primeiro dia de setembro, junto ao Palácio Nacional da Ajuda, na qual pelas 15h será feita uma comunicação pública ao primeiro-ministro. A sociedade civil está convidada a participar neste “Um Drink pela Cultura”, título para um beberete de copos vazios “em alusão ao vazio de respostas concretas por parte do Governo às inúmeras reivindicações que recebeu de todas as organizações ligadas ao setor”, num “genuíno brinde à Cultura e ao início da atividade política” para lembrar, já agora, o Governo da “ineficácia das medidas que decretou” para o setor.

 

A boca em Águeda

Centro de Artes de Águeda, 12 e 13 de setembro

A partir da edição de 2019, a BoCA Bienal chega neste mês de setembro a Águeda, numa das extensões que tem feito por todo o país. Ao Centro de Artes de Águeda apresentam-se, dias 12 e 13 de setembro, cinco dos projetos que resultaram da última edição da bienal: Narciso, instalação de Tania Bruguera (foyer 1), as performances Os Animais e o Dinheiro, de Gonçalo M.Tavares & Os Espacialistas (dia 12, às 21h30), Séance, de Mariana Tengner Barros (dias 12 e 13, às 16h30 e 17h30) e Coin Operated, de Jonas & Lander (dias 12 e 13, às 18h) e ainda Biblioteca, no foyer 0, uma instalação do artista Horácio Frutuoso.

 

70 voltas ao sol

Lisboa, 12 de setembro

O nome denuncia logo ao que Jorge Palma vem. 70 Voltas ao Sol. Sete décadas de vida do cantor comemoradas em cima do palco, num concerto integrado no programa Lisboa na Rua’20 da Câmara Municipal de Lisboa e EGEAC. Cristina Branco e Dead Combo são convidados de Jorge Palma, que vai percorrer aqui as léguas musicais que leva de estrada. Mas “o tempo não tem feito estragos na voz nem na sua veia criativa”, diz a EGEAC na nota sobre o concerto. “Porque, como ele próprio canta, ‘enquanto houver estrada pra andar, A gente vai continuar/ Enquanto houver ventos e mar, A gente não vai parar.’” O concerto terá transmissão online e está marcado para as 21h30. Saiba mais em culturanarua.pt

 

Os 15 anos do Vila Flor

Centro cultural de vila flor, 12 de setembro

Foi inaugurado a 17 de setembro de 2005, mas este ano o Centro Cultural Vila Flor (CCVF) celebra o 15.º aniversário a 12 de setembro. Década e meia volvida, chamam novamente ao palco Teresa Salgueiro, a voz que, há década e meia, deu as boas vindas aos espetadores ao novíssimo auditório. Desta feita, a cantora vai atuar com a Orquestra de Guimarães, “nascida do processo de crescimento artístico decorrido ao longo deste arco temporal no território”, nota o CCVF. “Celebra-se assim a afirmação de um equipamento que transformou para sempre a paisagem cultural do concelho e do país, através de importante repertório nacional orquestrado para a sublime voz da cantora”, acrescentam. A entrada é gratuita e o espetáculo está marcado para as 21h30.

 

Queer Lisboa

Cinema São Jorge e cinemateca portuguesa, 18 a 26 de setembro

Apesar dos cortes no financiamento a esta edição, o Queer Lisboa regressa neste mês de setembro para uma edição em sala, à semelhança do IndieLisboa, que se prolonga ainda até dia 5, e do Motelx, que se inicia no São Jorge logo no dia 8. Sem tempo a perder num mês de setembro que se faz cheio, arranca na mesma sala o Queer a dia 17. Entre as sessões especiais com que contará esta edição, a exibição de Race d’Ep! (1979), de Lionel Soukaz e Guy Hocquenghem, na Esplanada da Cinemateca Portuguesa (dia 22, às 21h30), sessão a decorrer em diálogo com uma exposição dos artistas João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira para ver de 23 de setembro a 23 de outubro na galeria Stolen Books, em Lisboa.

 

7 filmes de Akira Kurosawa

Espaço nimas (lisboa), de 17 de setembro a 15 de outubro

Depois de ter nos últimos anos revisitado o cinema de Yasujiro Ozu e de Kenji Mizogucchi com a exibição de novas cópias digitais restauradas e a estreia de filmes que nunca antes haviam sido exibidos em Portugal, a Medeia Filmes revisita no Espaço Nimas, em Lisboa, a obra de outro dos grandes mestres do cinema japonês: Akira Kurosawa. Em exibição neste ciclo estarão sete  filmes do período de maior glória do cineasta, em cópias digitais restauradas, cinco dos quais inéditos nos cinemas portugueses. Ociclo inicia-se com Os Sete Samurais (1954) e segue com Yojimbo, o Invencível (1961), Viver - Ikiru (1952), A Fortaleza Escondida (1958), Dodeskaden (1970), O Barba Ruiva (1965) e O Trono de Sangue (1957).

 

 

 

 

 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×