24/1/21
 
 
José Cabrita Saraiva 25/08/2020
José Cabrita Saraiva
Opiniao

jose.c.saraiva@ionline.pt

António Costa é o “criminoso” ou a vítima?

O primeiro-ministro tem uma forma muito própria de lidar com os acontecimentos. Quando as coisas correm bem, gosta de ser o primeiro a recolher os louros. Mas quando as coisas correm mal – e nestes últimos anos têm corrido muitas vezes –, atira as culpas para cima dos outros.

A irritação de António Costa com os médicos já tinha ficado bem clara quando disse que era “fácil passar o dia em videoconferência para as televisões opinando sobre o que acontece aqui e ali”.

Compreende-se que o primeiro-ministro não estivesse a gostar da barragem de críticas, por vezes agressivas, de que tem sido alvo – até porque, reconheçamos, não deve ser fácil digerir os “mimos” da Ordem dos Médicos quando se trabalha dia e noite para evitar o desastre.

Mas se o comentário de que “era fácil” ser médico nos dias que correm já não foi especialmente feliz, a revelação do pequeno vídeo “pirata” em que chama “cobardes” aos médicos leva a questão para outro patamar.

O primeiro-ministro tem uma forma muito própria de lidar com os acontecimentos. Quando as coisas correm bem, gosta de ser o primeiro a recolher os louros. Mas quando as coisas correm mal – e nestes últimos anos têm corrido muitas vezes –, atira as culpas para cima dos outros.

Leia o artigo completo na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.

 


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×