30/9/20
 
 
Polónia. Jerónimo Martins multada em 26 milhões de euros por falta de transparência nos preços

Polónia. Jerónimo Martins multada em 26 milhões de euros por falta de transparência nos preços

Jornal i 10/08/2020 15:45

Regulador polaco recebeu queixas de clientes e investigou. Grupo discorda da decisão da Concorrência da Polónia e vai impugnar a coima.

A Jerónimo Martins foi acusada pelo regulador da concorrência da Polónia (UOKiK) de cobrar aos clientes na caixa preços diferentes daqueles que apresentava nas prateleiras e pela falta de informação de preço nas prateleiras. A acusação resultou numa multa de cerca de 26 milhões de euros.

Na base destas acusações estão as lojas Biedronka, uma marca de retalho através da qual a Jerónimo Martins está presente na Polónia. 

O regulador recebeu várias queixas de clientes: “O Gabinete da Concorrência e Defesa do Consumidor recebeu inúmeras reclamações de consumidores e informações das Inspeções Provínciais da Inspeção do Comércio relativas à apresentação incorreta de preços nas lojas Biedronka. Centenas de sinais eram sobre preços mais altos nas caixas do que nas prateleiras das lojas ou sobre a falta de preços em mercadorias”, diz o regulador, acrescentando que foram estas queixas que deram origem à investigação.

“Durante a visita, o presidente do gabinete encomendou fiscalizações que confirmaram a dimensão da informação incorrecta sobre os preços nas lojas. As constatações do gabinete revelam que a prática está em curso desde, pelo menos, 2016”, acrescenta ainda o regulador polaco.

Tomasz Chróstny, presidente do UOKiK, não tem dúvidas: “O preço é um dos critérios mais importantes que os consumidores utilizam na escolha dos produtos. Não é permitido induzir os consumidores em erro quanto ao preço correcto dos produtos. No caso da Biedronka, os clientes há muito tempo pagavam normalmente mais do que o preço nas prateleiras das lojas. Nem sempre eles sabiam disso”, garante.

Já a Jerónimo Martins Polska não concorda com esta conclusão do regulador polaco “e irá impugnar judicialmente a decisão”, disse fonte oficial do grupo ao i.

“Ao longo dos 25 anos de atividade da Biedronka, o compromisso e a lealdade para com os consumidores foram várias vezes colocados à prova, incluindo em circunstâncias muito difíceis e sem precedentes, como este período de pandemia”, acrescenta a mesma fonte.

"O sentido de missão e de dever da Biedronka para com os consumidores reflecte-se, não só na política de preços baixos que norteia todas as suas iniciativas e práticas, mas também no esforço consistente que coloca na melhoria contínua de todos os processos, incluindo a etiquetagem de preços. No entanto, e tendo em conta a escala de operações da Biedronka - com mais de 3 mil lojas, cerca de 70 mil colaboradores e mais de 4 mil milhões de visitas de clientes entre 2017 e 2020 – há sempre a possibilidade de, por erro humano, faltarem alguns preços ou estarem mal colocados", diz ainda o grupo.

Ao i, a Jerónimo Martins garante ainda que "a empresa tem tomado medidas robustas, e acima das práticas do mercado, para reduzir estes erros pontuais, tendo estas medidas já produzido efeitos. Mantemo-nos firmes na nossa estratégia de fornecer produtos de qualidade a preços baixos todos os dias, criando valor e apoiando as famílias polacas e a produção e fabrico de alimentos na Polónia, especialmente nestes tempos difíceis".

 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×