21/9/20
 
 
País segue em situação de alerta. No Gerês prevê-se que o combate às chamas dure dias

País segue em situação de alerta. No Gerês prevê-se que o combate às chamas dure dias

João Porfírio Carlos Diogo Santos 09/08/2020 13:27

O incêndio em pleno Parque Natural da Peneda Gerês já devastou uma área considerável. Nevoeiro, diferentes tipos de exposição ao vento e problemas no acesso a determinados pontos estão a dificultar o combate. Ministério da Administração Interna já determinou a abertura de inquérito, mas a investigação à queda do Canadair, no sábado, ficará a  cargo de Espanha. Até ao fim deste domingo o país está em situação de alerta. (Em atualização)

O país continua em situação de alerta até ao final do dia de hoje devido ao risco de incêndio. Num dia em que as chamas em Lindoso, Ponte da Barca, são as que mais preocupam as autoridades nacionais. O fogo que deflagrou no coração do Parque Nacional da Peneda-Gerês na manhã de sábado, junto à fronteira com Espanha, está a ser combatido esta tarde por mais de 160 operacionais, apoiados por 45 veículos e por nove meios aéreos, estando com uma frente ativa.

Ao final da manhã, segundo o site da Autoridade Nacional de Emergência Proteção Civil esse era o único incêndio florestal ativo, estando os restantes 22 fogos já em fase de resolução ou em conclusão. No total, estavam espalhados de norte a sul, nos vários teatros de operação mais de 642 homens, apoiados por 181 viaturas e cinco meios aéreos.

Mas ao início da tarde o cenário era já bem diferente, com um total de oito incêndios ativos no país e mais de 1200 homens a combater as chamas. Além de 317 viaturas nos diversos teatros, perto das 18h estavam 25 meios aéreos empenhados no combate às chamas.

No Gerês há "trabalho para os próximos dias"

O incêndio do Gerês continua a inspirar grande preocupação, até pela dificuldade de acesso, que torna crucial a intervenção dos meios aéreos. Mas mesmo essa intervenção tem sido dificultada pelo nevoeiro que se fez sentir esta manhã.

"Teremos aqui trabalho para os próximos dias", admitiu esta manhã aos jornalistas Paulo Barreiro, 2.º comandante operacional distrital da Proteção Civil, adiantando que têm estado equipas no terreno 24 sobre 24 horas e que é preciso "ir avançando um passo de cada vez". "Todas estas regiões têm vários tipos de exposições aos ventos, o que nos traz sempre mais dificuldades no combate", explicou.

Ainda que o responsável não tenha querido quantificar a área ardida até ao momento, disse que terá sido já uma extensão "considerável".

Recorde-se que o Ministério da Administração Interna já determinou a abertura de um inquérito a este incêndio, que lavra há já mais de 24 horas e no âmbito do qual se registou já um acidente com uma aeronave Canadair. A queda do avião, em Espanha, provocou a morte do piloto (o copiloto está em estado grave), e será investigado pelas autoridades espanholas.

Domingo com tempo seco e vento

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA, o tempo deverá continuar quente e seco, nas próximas horas, tendo existido “uma fraca recuperação noturna no interior”.

Para este domingo previa-se uma humidade relativa do ar “inferior a 30% a chegar no litoral no distrito de Setúbal”, e “inferior a 20% no interior Norte e Centro incluindo o Alto Alentejo”. Segundo o IPMA, além da “fraca recuperação noturna no interior, em particular nas terras altas”, contribui para o risco de incêndio o “vento a predominar no quadrante Oeste e a intensificar a partir da tarde no litoral Oeste (até 40 km/h) a sul do cabo Raso e nas terras altas”.

O que está proibido até às 23h59 de hoje

Com a declaração de situação de alerta, ficou interdito “o acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos planos municipais de defesa da floresta contra incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem”. Estão também proibidas as queimadas e queimas de sobrantes de exploração, bem como a utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, “independentemente da sua forma de combustão”.

No site da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil lembra-se mesmo que “estão suspensas as autorizações que tenham sido emitidas, nos distritos em que tenha sido declarado o estado de alerta especial de nível vermelho do Sistema Integrado de Operações de Proteção e Socorro (SIOPS), para o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR)”.

Até às 23h59 de hoje é também proibido “realizar trabalhos nos espaços florestais e outros espaços rurais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais”.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×