28/11/20
 
 
Juan Carlos. “Não sei se vem para Portugal”, diz Marcelo

Juan Carlos. “Não sei se vem para Portugal”, diz Marcelo

AFP Luís Claro 06/08/2020 14:06

João Soares, convicta e firmemente republicano,  considera que “o deveríamos receber cá em Portugal”.  

Marcelo Rebelo de Sousa desconhece se o Rei emérito espanhol, Juan Carlos, virá para Portugal. E, para já, prefere não comentar essa possibilidade. Juan Carlos anunciou a decisão de se afastar de Espanha no início desta semana devido a “certos eventos do passado”, mas o seu destino continua em segredo.

O Presidente da República foi esta quarta-feira questionado sobre as notícias que dão conta de que o Rei emérito espanhol está em Portugal e garantiu que desconhece o seu paradeiro. “Trata-se de um cidadão de outro país, amigo, vizinho e em muitos aspetos irmão, e, portanto, por princípio não se comenta, mas vou um bocadinho mais longe, porque verdadeiramente não sei e penso que as autoridades portuguesas também não têm conhecimento sobre essa matéria”, disse.

Juan Carlos abandonou Espanha para proteger a monarquia dos escândalos financeiros em que está envolvido. Numa carta enviada ao filho, o Rei Filipe VI, Juan Carlos justifica a decisão com “certos acontecimentos passados da minha vida privada”. 

A imprensa tem apontado vários locais para o exílio do Rei emérito espanhol. Portugal é uma das hipóteses avançadas, nomeadamente Cascais e Azeitão, no distrito de Setúbal.

Juan Carlos passou parte da infância no Estoril e, pelo menos desde 2015, que é noticiada a possibilidade de o antigo monarca regressar a Portugal.

O presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, disse, em declarações ao semanário SOL, que “esse é um assunto que não diz respeito” à autarquia, mas garantiu que Juan Carlos será bem recebido. “É um cidadão de Cascais, que aqui viveu durante largos anos, que cá mantém muitos amigos e que de alguma forma é acarinhado ainda hoje em dia. Isso é verdade. Se for essa a opção dele e da Casa Real Espanhola, por Cascais, obviamente que o receberemos com toda a amizade”, afirmou o autarca de Cascais.

 

Seria um gesto digno

João Soares, ex-presidente da Câmara de Lisboa e ex-ministro da Cultura, também defendeu que “o deveríamos receber cá em Portugal”. Num texto publicado na sua página do Facebook, esta segunda-feira, João Soares começa por lembrar que é “convicta e firmemente republicano”, mas lembra que “Juan Carlos é parte indiscutível” da Espanha democrática. “Perdeu-se diz-se pelo seu gosto por senhoras, e por eventuais prendas que terá recebido, e não deveria. Isso não é razão para que não pense que o deveríamos receber cá em Portugal. Onde ele e seu pai viveram exilados. Penso que seria um gesto digno de vizinhos e amigos de Espanha que somos nós portugueses. Uma lição também de sentimento de fraterna tolerância para quem se revelou sempre como amigo de Portugal. É o que penso e aqui deixo como proposta pessoal clara”, escreve o ex-ministro.
João Soares lembra ainda que Juan Carlos “era uma figura muito popular” em Portugal. “Sou testemunha direta disso. Dos muitos chefes de Estado que recebi em Lisboa, enquanto presidente da Câmara de Lisboa, ele foi o que mais simpatia popular recebeu”, recorda. 

 

Críticas e elogios

As polémicas em que Juan Carlos se viu envolvido têm sido amplamente debatidas nas redes sociais. O histórico do PSD António Capucho escreveu, na sua página do Facebook, que não é possível “aliviar as graves responsabilidade do rei emérito” nos escândalos em que está envolvido, mas salienta “o papel determinante que Juan Carlos assumiu com coragem e inteligência na transição bem sucedida da ditadura para a democracia em Espanha”.

Ler Mais


Especiais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×