23/9/20
 
 
FC Porto. Nada como usar a cabeça para chegar à dobradinha

FC Porto. Nada como usar a cabeça para chegar à dobradinha

AFP Laura Ramires 03/08/2020 08:53

FC Porto conquistou a Taça de Portugal após bater (2-1) o Benfica na final. Mbemba fez os dois golos do dragão, de cabeça, numa altura em que a equipa azul-e-branca estava reduzida a dez unidades (após expulsão de Luis Díaz, ainda na primeira metade do encontro). Azuis--e-brancos juntam este troféu à conquista do campeonato nacional 
e alcançam assim a dobradinha na época 2019/20. FCPorto venceu pela 17.ª vez a prova-rainha do futebol português.

Duas semanas depois de ter garantido matematicamente o título de campeão nacional, após bater (2-0) o Sporting no Dragão, na jornada 32 da Liga portuguesa, o FC Porto voltou a celebrar, desta feita depois de derrotar (2-1) o Benfica na final da Taça de Portugal. Em Coimbra, a festa voltou a ser em tons de azul e branco, com o dragão a conquistar pela 17.a vez na sua história a prova-rainha do futebol português. O marcador manteve-se inalterado até ao intervalo, mas ainda na primeira metade houve duas expulsões no lado portista: aos 38 minutos, o colombiano Luis Díaz viu o segundo cartão amarelo após entrada dura sobre André Almeida; e, cinco minutos depois (43’), foi a vez de Sérgio Conceição receber ordem de saída do banco pelo árbitro Artur Soares Dias. A ideia de que a vantagem numérica poderia revelar-se um trunfo precioso na decisão deste encontro rapidamente caiu por terra, com o primeiro golo a surgir à entrada da segunda metade. Aos 47 minutos, Mbemba aproveitou um mau alívio de Vlachodimos e inaugurou o marcador, contra todas as probabilidades. O defesa congolês repetiu a proeza cerca de dez minutos depois, ao fazer o 2-0, novamente de cabeça. 

Numa partida em que a equipa de Sérgio Conceição nunca se mostrou desequilibrada, apesar de jogar com menos um elemento durante mais de metade do jogo, só nos instantes finais surgiu o golo encarnado. De grande penalidade, Carlos Vinícius reduziu a vantagem portista para 2-1 e agitou, assim, os últimos cinco minutos da final. Apesar das várias tentativas por parte do plantel de Nélson Veríssimo – com destaque para o remate de Jota ao poste da baliza defendida por Diogo Costa, aos 91 minutos –, o 2-1 permaneceu até ao apito final, com o FC Porto a alcançar a dobradinha nesta época 2019/20.

Os azuis-e-brancos saem desta forma como os grandes vencedores da época mais atípica e longa da história do futebol português, que terminou praticamente um ano depois de ter arrancado. Com uma interrupção forçada de três meses devido à pandemia de covid-19, de destacar também os moldes inéditos das duas conquistas alcançadas pelo clube nortenho, festejadas sem adeptos nas bancadas.

Com a vitória na Taça de Portugal, os dragões igualaram ainda o número de troféus do Sporting (17) e dividem agora o segundo lugar na lista de clubes mais titulados na prova, ambos a nove do Benfica, que continua a apresentar-se como o recordista da competição, com 26 troféus.

Além disso, Sérgio Conceição assegurou um galardão que o clube não vencia há já oito anos, desde 2010/2011, quando o FC Porto tinha feito a última dobradinha.

O técnico de 45 anos fechou da melhor forma a terceira época à frente do clube, somando agora quatro troféus: duas Ligas (2017/18, 2019/20), uma Supertaça (2018/19) e uma Taça de Portugal (2019/20).

Recorde-se que Sérgio Conceição tem dado que falar nos últimos dias, além dos títulos, também por causa da eventual saída do comando técnico do clube portista. O treinador natural de Coimbra tem contrato válido até 2021 mas, nos últimos dias, mostrou-se disponível para ouvir propostas de clubes estrangeiros. 

No final do jogo, a emoção tomou conta de Sérgio Conceição, que não evitou as lágrimas após a vitória. Entre os principais momentos da conquista, uma referência também para a hora de erguer a Taça, altura em que jogadores e treinador esperaram por Iker Casillas – uma espécie de homenagem ao antigo guardião espanhol, que abandonou de forma inesperada os relvados após sofrer um enfarte agudo do miocárdio durante um treino portista, em maio do último ano. Recorde-se que o ex-internacional espanhol terminou contrato com os azuis-e--brancos apenas no último mês de junho mas, esta época, já não somou qualquer minuto devido ao seu estado clínico. Embora a relação com Conceição não tenha sido sempre perfeita (o técnico chegou a optar por José Sá na baliza portista na sua primeira época no FC Porto), o espanhol destacou a relevância do técnico nas últimas conquistas. “Por trás de cada treinador sério e com disciplina esconde-se também uma grande pessoa. Durante três anos pude comprovar que o Sérgio Conceição é assim: exigente ao máximo e competitivo. Quer sempre ganhar e é isso que transmite aos jogadores. É fácil dizê-lo agora mas, se nestes três anos, o FC Porto conquistou troféus e conseguiu lutar por eles, foi por causa deste treinador. Com as suas irritações, claro!”, escreveu, numa publicação de uma fotografia abraçado ao treinador. “Parabéns a todos os portistas! E, claro, parabéns a todos os meus colegas. Hoje mostrámos esta raça que tanto defendem os muitos adeptos deste clube! Uma temporada gloriosa!”, acrescentou o ex-guardião, visando o plantel e os adeptos do FC Porto.

Com o ponto final colocado, a nova temporada começa a surgir em primeiro plano. Neste novo capítulo, uma referência para o Benfica que, depois de uma época desastrosa, esta segunda-feira apresenta o novo (mas velho conhecido) treinador: Jorge Jesus.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×