13/8/20
 
 
Este verão, o CCB traz uma série de concertos ao ar livre

Este verão, o CCB traz uma série de concertos ao ar livre

Mariana Madrinha 13/07/2020 22:40

As entradas custam sempre o mesmo (cinco euros) e as hostilidades são abertas já na próxima quarta-feira.

Chama-se O Melhor dos Mundos Possíveis e pretende fazer jus ao nome: o melhor possível para um verão que, já sabemos, será diferente. A proposta do CCB passa por quase duas mãos-cheias de concertos, a decorrer num auditório que tem as estrelas como teto, assinado por Carrilho da Graça. As entradas custam sempre o mesmo (cinco euros) e as hostilidades são abertas já na próxima quarta-feira.

Fogo Fogo

O concerto de abertura deste O Melhor dos Mundos Possíveis fica a cargo dos Fogo Fogo que, como assinatura, costumam garantir as noites mais quentes da área. Os ritmos da banda lisboeta que nasceu literalmente em palco antes de lançar os primeiros originais trazem, entre outros ritmos, a magia do funaná. Os espetadores podem esperar uma noite de celebração: a diáspora cabo-verdiana e o reencontro com o público. Dia 15, 21h00, Praça CCB

Filipe Sambado

Tem um novo disco, Revezo, lançado no início deste ano, e no qual regressou à infância e reconstruiu o folclore português, contou o próprio, na altura, em entrevista ao i. Já em 2018, Filipe Sambado & Os Acompanhantes de Luxo tornou-se o melhor disco nacional do ano para Antena 3, Radar e Vodafone FM. A identidade única de Filipe Sambado é ponto cada vez mais assente entre o público e a crítica especializada. É tirar as teimas, este sábado.DIa 18, 21h00, Praça CCB

Os Músicos do Tejo

São muitos e bons. Afinal, juntar num concerto o longo caminho que entremeia o barroco e o fado  é tarefa de titãs. Do Barroco ao Fado explora as “imagens diferentes da nossa cultura musical”, passando pela música erudita e popular. Neste encontro, Marcos Magalhães e Marta Araújo dirigem o grupo português de música antiga Músicos do Tejo. Ana Quintans e Ricardo Ribeiro emprestam a voz, acompanhados à guitarra por Miguel Amaral. Já Marco Oliveira combina a voz e a viola de fado.Dia 26, 19h00, Praça CCB

Sete Lágrimas

O projeto que conta com a direção artística de Filipe Faria e Sérgio Peixoto e, nas palavras de Rui Vieira Nery, nos propõe “uma viagem por repertórios escritos e orais, mais próximos ou mais remotos, de teor ora mais erudito ora mais popular” - abarcando um total de seis séculos -, está de volta ao CCB. E traz convidadas muito especiais: Ana Moura, Carolina Deslandes e Tainá vão subir ao palco para partilhar as suas próprias bagagens.Dia 2 de agosto, 19h00, Praça CCB

André Rosinha Trio

O doce calor de agosto vai bem com riffs. E numa casa que tanto tem prezado o jazz, este não podia faltar à convocatória, desta feita pelas mãos do trio do contrabaixista André Rosinha, composto também pelo pianista João Paulo Esteves da Silva e pelo baterista Marcos Cavaleiro. Vão trazer ao auditório ao ar livre o seu primeiro disco, Árvore, editado em dezembro de 2019 e que é influenciado pelo jazz, pela música da América Latina, pelo folk e ainda pela música clássica.8 de agosto, 21h00, Praça CCB


Cais do Sodré Funck Connection

Com o ocaso do mês, o Melhor dos Mundos Possíveis dá o palco aos veteranos Cais Sodré Funk Connection, “verdadeiros embaixadores do funk & soul” germinados no bairro que lhes dá o nome: o Cais do Sodré. Em maio de 2019 editaram o seu terceiro álbum, Back On Track, e nesta noite que decorre depois de dez anos de concertos “vão trazer na bagagem novas temáticas e canções para celebrar a vida adulta, sem perder a energia contagiante tão bem caracterizada na sua música”.29 de agosto, 21h00, Praça CCB

Orquestra Metropolitana de Lisboa

O primeiro fim de semana de setembro será sinónimo de jornada dupla para a Orquestra Metropolitana de Lisboa, que conta com a direção musical do maestro Pedro Amaral. Trazem a versão de concerto de Così fan tutte, a “ópera das peripécias e dos mal-entendidos”, através dos quais se reflete e se ri sobre o sentimentalismo romântico, contando com a música de Mozart e as palavras do libretista Lorenzo da Ponte.Dias 5 e 6 de setembro, 21:00 (5) E 19H00 (6), Praça CCB

Tito Paris

Com ritmos africanos se iniciou o ciclo, com ritmos africanos se fechará. E quem seria melhor embaixador do que Tito Paris para, a dançar, fechar esta porta ao ar livre? O concerto do músico cabo-verdiano que já leva quase 40 anos de carreira traz os seus incontáveis êxitos, contando com as músicas do seu último álbum, Mim ê Bô, lançado em 2017.12 de setembro, 21h00, Praça CCB 



 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×