13/8/20
 
 
Benfica. Nélson Veríssimo aguenta o barco enquanto águia rema por Jorge Jesus

Benfica. Nélson Veríssimo aguenta o barco enquanto águia rema por Jorge Jesus

Site oficial SLB Laura Ramires 08/07/2020 08:26

Direção encarnada concentra todos os esforços no possível regresso de Jorge Jesus. Por agora está apenas garantida a presença de Nélson Veríssimo no banco até ao final da temporada: com Liga quase decidida, o verdadeiro teste será a Taça de Portugal.

Diz-se que todos os caminhos vão dar a Roma, que no caso do Benfica significa ter em Jorge Jesus o destino final. A direção encarnada continua a ter o nome do atual treinador do Flamengo no top das preferências para suceder a Bruno Lage, manifestando mais uma vez o desejo de tornar real o regresso do técnico à Luz. Há cerca de um mês completaram-se cinco anos desde que Jesus deixou o comando técnico dos encarnados, mas nem a saída polémica para o rival Sporting acabaria por manchar esta ligação -– muito devido ao percurso inglório no vizinho da Segunda Circular, que terminou com o ataque incompreensível à academia do clube. Assim, o amadorense conseguiu preservar o seu lugar no quadro de honra dos encarnados, numa espécie de feitiço que traz o seu nome à baila de cada vez que um treinador treme ou cai no reino da águia. Antes de Lage, o mesmo já havia acontecido com Rui Vitória, técnico que rendeu JJ na Luz e com quem cruzou caminho mais tarde, na Arábia Saudita. Já depois da passagem pelo Al-Hilal, Jesus rumou ao Brasil, onde a caminhada histórica é já conhecida por todos. Com a conquista da Taça Libertadores e do campeonato brasileiro como pontos altos na sua temporada de estreia, os adeptos do Mengão têm endeusado o português, que consideraram mesmo o melhor treinador da história do clube.

Veríssimo até ao final da época Enquanto o Benfica faz todos os esforços para trazer Jesus de volta, Nélson Veríssimo é o homem que vai estar à frente da equipa até ao final da temporada. Os encarnados oficializaram a decisão dois dias depois da goleada do FC Porto sobre o Belenenses SAD, resultado que deixa o dragão a dois triunfos do título. De resto, os azuis-e-brancos podem até ser campeões já esta quinta-feira se vencerem em casa do Tondela e o Benfica perder na visita ao Famalicão, em jogos a contar para a 31.a jornada. Com o campeonato cada vez mais perto de apurar o novo campeão, a prova de fogo do técnico interino Veríssimo será a Taça de Portugal, com a final entre FC Porto e Benfica agendada para 1 de agosto, no jogo que encerra oficialmente a época.

A partir daqui espera-se o anúncio mais aguardado sobre o sucessor definitivo de Lage. Apesar de Jesus sempre ter demonstrado o desejo de regressar a Portugal, o técnico também já fez saber que o bilhete de volta tem um preço. No Fla, o técnico de 65 anos aufere um salário de 8 milhões de euros brutos, pelo que os encarnados deverão chegar-se à frente com uma proposta inédita no clube (na ordem dos 7 milhões de euros anuais brutos, que corresponde a um salário de 3,5 milhões de euros limpos).

Por outro lado, as incertezas quanto às provas sul-americanas devido à pandemia de covid-19, designadamente a Libertadores, que continua sem data prevista, podem vir a ter um peso decisivo na saída do técnico do Rio de Janeiro.

Apesar de ter renovado recentemente com o clube carioca, Jorge Jesus tem no contrato uma cláusula que lhe permite sair para determinados clubes da Europa mediante o pagamento de 1 milhão de euros. O Benfica integra esta lista, pelo que as negociações entre a direção encarnada e o técnico seguem até agora em bom ritmo.

Recorde-se que nos seis anos que esteve à frente da equipa encarnada (entre 2009 e 2015), Jesus conquistou nove títulos: três campeonatos, cinco Taças da Liga e uma Supertaça. Além disso, ainda conduziu as águias a duas finais da Liga Europa, perdidas para o Chelsea (2012/13) e para o Sevilha (2013/14).

A porta da Luz fica, desta forma, mais uma vez entreaberta para Jesus, mas fechou-se definitivamente para Lage. O agora ex-treinador do Benfica reagiu ontem pela primeira vez após a saída, na sequência da derrota nos Barreiros, ante o Marítimo. “Depois de me despedir do presidente, do diretor desportivo, do diretor-geral e de todos os jogadores, bem como de todos os que trabalham diariamente no Seixal, quero, agora, despedir-me de todos vocês, os adeptos, que são a essência deste clube único no mundo”, escreveu o treinador campeão nacional de 2018/19. “O mais difícil é afastarmo-nos de algo em que acreditamos. E esse momento chegou. Muito obrigado. Que a onda vermelha volte rapidamente a apoiar a equipa nos estádios e a empurrá-la para novas conquistas”, acrescentou. Lage esteve um ano e meio no Benfica e junta à inédita reconquista a Supertaça, alcançada ante o Sporting.

 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×