13/8/20
 
 
Campeonato. Benfica regressa às vitórias mas série negra apresenta-se como um mal sem remédio

Campeonato. Benfica regressa às vitórias mas série negra apresenta-se como um mal sem remédio

AFP Laura Ramires 06/07/2020 10:01

Nélson Veríssimo teve estreia vitoriosa como treinador principal das águias. Apesar do triunfo, destino dos encarnados no campeonato parece traçado depois de uma espiral negativa que se arrasta desde fevereiro – desde então que a águia não vencia na Luz.

Nélson Veríssimo assumiu o comando técnico do Benfica há precisamente uma semana, logo após a saída esperada de Bruno Lage. É, aliás, fácil de perceber a depressão em que a águia se encontrava quando é preciso recuar quase duas décadas para encontrar uma série negra igual. A verdade é que o agora ex-treinador dos encarnados conseguiu igualar o pior registo de sempre do clube, já que foi precisamente com duas vitórias em 13 jogos que os encarnados fecharam a época 2000/01. Resultado final: sexto lugar na tabela, num campeonato conquistado pelo Boavista. Ainda assim, por estes dias, o cenário é bem diferente. Apesar de um Sporting em ascendente, o segundo lugar parece ser o destino final do clube da Luz. De resto, só a matemática ainda faz acreditar que o título não é uma miragem.

Regresso às vitórias na Luz Mas foi precisamente sobre a ainda real possibilidade de revalidar o título que Nélson Veríssimo trabalhou nos últimos dias. O antigo adjunto de Lage tornou-se o rosto principal da equipa e lembrou que as contas só se fazem no final da prova. Como tal, regressar às vitórias na receção ao Boavista era missão obrigatória. E assim foi. Na Luz, o Benfica ainda tremeu nos primeiros instantes, mas o golo de André Almeida, no primeiro remate dos encarnados, aos 13 minutos, foi o melhor antidepressivo para afastar os fantasmas recentes. Ainda na primeira metade, Pizzi e Gabriel ampliaram a vantagem, com o brasileiro em destaque depois de já ter assistido para os dois golos apontados pelos internacionais portugueses. Com a vitória desenhada nos primeiros 45 minutos, os encarnados facilitaram na segunda parte e ainda permitiram o golo de Dulanto, que fixou o resultado final em 3-1 num lance de bola parada, que tem vindo a revelar-se uma dor de cabeça para as águias.

O Benfica voltou a vencer na Luz cinco meses depois, uma vez que o último triunfo (3-2) datava de 4 de fevereiro, ante o Famalicão, na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal. Entre este encontro e a receção aos axadrezados de Daniel Ramos, este sábado, contaram-se cinco jogos em casa, com duas derrotas (Sp. Braga e Santa Clara) e três empates (Shakhtar Donetsk, Moreirense e Tondela). Para se ter uma ideia, a última vez que o Benfica não venceu cinco jogos seguidos em casa foi na época de 1930/31, quando esteve sete jogos sem alcançar os três pontos.

Depois de esta época ter apresentado uma vantagem de sete pontos para o FC Porto, os encarnados parecem ter deitado tudo a perder, numa espiral negativa que começou precisamente com o desaire ante a equipa de Sérgio Conceição, por 3-2, na jornada 20 da Liga, disputada no Dragão, a 8 de fevereiro.

Cinco jogos para fechar a época Oficialmente na reta final da mais longa época da história do futebol português, o calendário do Benfica apresenta agora os últimos cinco jogos. Para o campeonato, são 12 pontos ainda em jogo, com o Famalicão (fora) a ser o próximo adversário dos encarnados, esta quinta-feira. Segue-se o V. Guimarães (casa), o Aves (fora) e o dérbi frente ao Sporting (casa), na última jornada da prova, prevista para 26 de julho. Uma semana depois (em 1 de agosto), Benfica e FC Porto voltam a encontrar-se para disputar a final da Taça de Portugal, no jogo que encerra a época.

Por enquanto, Veríssimo continua no comando das operações na Luz, tendo orientado o treino vespertino deste domingo. Apesar de o técnico não se alongar nos comentários sobre o futuro, é praticamente garantido que volte a sentar-se no banco na partida com o plantel famalicense. Embora o presidente Luís Filipe Vieira continue, a todo o ritmo, à procura de novo treinador, o timing está a dificultar a contratação imediata do sucessor definitivo de Lage. Até lá, será Veríssimo à frente da equipa, cargo interino que poderá deixar apenas no próximo dia 1. “Pediram-me para preparar o treino de amanhã [domingo] à tarde. Há treino às 18h, e vamos ser nós a prepará-lo. É simples: os jogadores que jogaram mais tempo vão fazer o treino de recuperação e todos os outros – que não tiveram minutos ou volume de jogo – vão fazer um tipo de trabalho mais específico. É o habitual. Quanto às questões estratégicas, são sempre pensadas mais próximo do jogo. Essa questão não se coloca para amanhã. Para já, não penso para além disso”, disse o técnico após a estreia vitoriosa.

 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×