13/8/20
 
 
Bruno Lage. O super-herói da Reconquista perdeu os poderes

Bruno Lage. O super-herói da Reconquista perdeu os poderes

Luís Forra/ Pool/ Lusa Laura Ramires 01/07/2020 20:07

Um ano e meio depois, Lage deixa o comando técnico do Benfica. A capa do outrora super-herói dos encarnados caiu ao chão na Madeira. A derrota nos Barreiros não só acentuou a crise de resultados do clube como é sinónimo do adeus ao título.

Bruno Lage já sabia o que tinha a fazer assim que Correa fez o primeiro golo na Madeira. Se ainda restassem dúvidas, cinco minutos depois, Rodrigo Pinho confirmou um destino que há semanas vinha sendo anunciado para o treinador encarnado. Entretanto, Joel esteve perto de levar este episódio para níveis ainda mais dramáticos – mas o VAR assinalou fora de jogo, e o Marítimo acabaria por vencer as águias por 2-0. Com nova derrota no campeonato, e apenas duas vitórias nos últimos 13 jogos, a estadia de Lage era vista com cada vez mais desconfiança no universo benfiquista. Depois de em dezembro último ter renovado contrato por quatro anos (até dezembro de 2024), nos últimos dias a direção encarnada já só assegurava a permanência do treinador até ao final da época. Contudo, a crise de resultados cada vez mais acentuada antecipou este desfecho. Mal terminou o jogo nos Barreiros, Lage colocou o lugar à disposição do presidente, alegando que não tinha condições para continuar. Luís Filipe Vieira foi lesto a reagir, assumindo os fracassos recentes da equipa – mas, pelo meio, aceitou o pedido de demissão do técnico.

 

Era Lage durou um ano e meio

Bruno Lage despede-se do Benfica um ano e meio depois de ter rendido Rui Vitória no comando técnico das águias. Nos primeiros dias de janeiro de 2019, o então treinador da equipa B encarnada assumiu o lugar de forma interina – mas uma série de resultados positivos levou a que fosse promovido a treinador definitivo. De resto, a decisão revelou-se certeira: num momento em que o Benfica parecia estar já de fora da luta pelo título, Lage recuperou 7 pontos de vantagem para o então líder FC Porto e sagrou-se campeão da Liga em 2018/19, após cinco meses sem perder para a prova. Neste percurso imaculado, destaque para a aposta no jovem João Félix, que acabaria por ser transferido para o Atlético de Madrid por um valor recorde de 126 milhões de euros. Depois da inesperada Reconquista – e, como diz o ditado, “quem com ferro mata… com ferro morre” – esta temporada foi o Benfica a ver o FC Porto recuperar precisamente da mesma distância (7 pontos), e colocar-se cada vez mais perto do título.

 

Cinco capítulos para o final

Lage deixa o Benfica num momento em que faltam disputar cinco jornadas da I Liga, com os encarnados no segundo lugar na tabela, a seis pontos da turma de Sérgio Conceição. Esta terça-feira, o técnico deslocou-se pela última vez ao Seixal, onde esteve durante cerca de cinco horas e fez as despedidas junto dos jogadores.
Para já é Nélson Veríssimo quem fica à frente da equipa. O até agora adjunto de Bruno Lage orientou o treino desta terça-feira das águias e parece ser a solução imediata até o clube encontrar o novo treinador.
De resto, a sucessão definitiva para o lugar que Lage deixou vago já está a ser estudada, pelo que os possíveis nomes não param de surgir na imprensa nacional e internacional desportiva. Entre eles, apenas um eventual regresso de Jorge Jesus parece já ter caído por terra. O facto de o treinador ter renovado há dias contrato com os brasileiros do Flamengo, além do salário que aufere, tornam impossíveis quaisquer contactos neste sentido.
Assim, na frente da corrida parece colocar-se o técnico argentino Mauricio Pochettino, sem clube desde dezembro de 2019, após ter saído dos ingleses do Tottenham. Nos últimos dias, o nome de Marco Silva também tinha dado que falar, mas a hipótese perdeu força depois de se saber que a prioridade da direção encarnada passa por contratar um treinador estrangeiro reconhecido. Há mais de uma década que o clube da Luz aposta em treinadores portugueses – o espanhol Quique Flores foi o último técnico estrangeiro a orientar a equipa (2008/09).
Pela frente, até fechar o campeonato, os encarnados vão medir forças com o Boavista (casa), Famalicão (fora), V. Guimarães (casa), Aves (fora) e Sporting (casa). O jogo com os axadrezados está agendado para este sábado, na Luz.
Já o FC Porto terá pela frente o Belenenses SAD (casa), Tondela (fora), Sporting (casa), Moreirense (casa) e Sp. Braga (fora).
Benfica e FC Porto ainda vão disputar a final da Taça de Portugal, agendada para 1 de agosto, uma semana depois da última ronda da Liga, prevista para 26 de julho.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×