15/7/20
 
 
INE. Entre fevereiro e maio assistiu-se a uma “forte redução do emprego”

INE. Entre fevereiro e maio assistiu-se a uma “forte redução do emprego”

Jornal i 01/07/2020 11:42

Gabinete de estatística estima que tenham sido destruídos 192 mil empregos entre fevereiro e maio.

A pandemia de covid-19 continua a afectar o mercado de trabalho e os valores falam por si: os dados provisórios do Instituto Nacional de Estatística (INE) apontam para uma redução do emprego na ordem dos 4%. Já a taxa de desemprego que em abril foi de 6,3%, em maio terá sido de 5,5%, estima o INE.

O gabinete de estatística defende que “a evolução do mercado de trabalho continua a ser marcada pelo impacto da pandemia covid-19”, acrescentando que entre fevereiro e maio (estimativa provisória), assistiu-se a uma forte redução do emprego de 4%. “No entanto, essa redução não foi acompanhada por um aumento na taxa de desemprego, tendo até diminuído nesse período (0,9 pontos percentuais)”.

Para maio, a estimativa provisória da população empregada, que correspondeu a 4 646,6 mil pessoas, registou um decréscimo de 2,2% (104,9 mil) em relação ao mês anterior e de 4,0% relativamente a três meses antes e a um ano antes. E por isso o INE estima que, entre fevereiro e maio, tenham sido destruídos 192 mil empregos.

O gabinete estatístico revela que existiu um aumento significativo no número de inativos que se integram em dois grupos que estão na fronteira com a população ativa: inativos que, embora pretendam trabalhar, não fizeram diligências ativas para procurar trabalho e inativos que, embora pretendam trabalhar e tenham procurado ativamente trabalho, não estavam disponíveis para iniciar trabalho na semana de referência ou nas duas semanas seguintes.

Já no que diz respeito ao mês de abril a população empregada em Portugal registou uma diminuição de 1,3%, a taxa de desemprego aumentou 0,1 pontos percentuais e a taxa de subutilização do trabalho aumentou 1,0 pontos percentuais. Os dados são do Instituto Nacional de Estatística que revela ainda que a taxa de desemprego situou-se nos 6,3%, o que representa um crescimento de 0,1 pontos percentuais face ao mês anterior.

Segundo o INE, em abril, a população desempregada foi estimada em 318,8 mil pessoas, um crescimento de 0,5% em relação a março e uma diminuição de 9,4% face a janeiro. Para maio, a estimativa é que a população desempregada – cuja estimativa provisória é de 267,9 mil pessoas – registou uma diminuição de 16,0% (50,9 mil) em relação ao mês anterior, de 19,2% (63,7 mil) relativamente a três meses.

“Em maio e, sobretudo, em junho, as restrições à mobilidade foram parcialmente aliviadas, mas continuaram a afetar o funcionamento do mercado de trabalho no período analisado. Relembra-se que as estimativas mensais apresentadas neste Destaque correspondem a trimestres móveis, cujo mês de referência é o mês central de cada um desses trimestres. Assim, as estimativas definitivas de abril de 2020 compreendem os meses de março, abril e maio, enquanto as estimativas provisórias de maio de 2020 incluem os meses de abril, maio e junho”, explica o gabinete de estatística.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×