15/7/20
 
 
Vítor Rainho 29/06/2020
Vítor Rainho

vitor.rainho@newsplex.pt

O Governo, a polícia e a grande balbúrdia

Num passado recente, como no sábado, o Executivo permitiu que mais de mil pessoas se juntassem na rua – no caso, na manifestação do Chega – quando quer multar até 500 euros quem se junte sem ser numa manifestação?

Sejamos claros. O Governo entrou em roda livre e é como se estivesse dentro de uma cabina telefónica e não conseguisse encontrar a porta de saída. Passe o plágio, esta história foi contada por alguém a propósito de Paulo Futre, o magnífico “sócio” craque, que era capaz de fintar dez jogadores na cabina mas não conseguia dar com a saída.

A confusão é tanta, no que diz respeito ao Governo, que se fintam a eles próprios e aos jogadores que dependem de si. Vejamos o caso dos ajuntamentos proibidos de mais de dez pessoas. Num passado recente, como no sábado, o Executivo permitiu que mais de mil pessoas se juntassem na rua – no caso, na manifestação do Chega – quando quer multar até 500 euros quem se junte sem ser numa manifestação?

Mas será que as pessoas que se reúnem numa manifestação têm um antivírus que os outros não têm? Isto é tão estúpido que é difícil encontrar palavras para o descrever. O Chega, a CGTP, o PCP, o CDS ou quem quer que seja não podem estar acima do comum dos mortais.

Enquanto o Governo não perceber isso não terá autoridade moral para multar quem quer que seja.

Leia o artigo completo na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×