24/9/20
 
 
Centros de dia, bares e discotecas ainda sem datas para reabrir

Centros de dia, bares e discotecas ainda sem datas para reabrir

Ricardo Castelo Jornal i 15/06/2020 08:26

Graça Freitas avançou que evolução da pandemia tem de ser observada primeiro.

As etapas do desconfinamento não estão concluídas e alguns setores aguardam ainda luz verde do Governo para voltar a abrir portas. Os centros de dia são um dos exemplos sem data para reabrir e foram, aliás, abordados ontem pela diretora-geral da Saúde, Graça Freitas. “Temos mais equipamentos para abrir nesta altura do verão. Vamos observar a epidemia e brevemente sairão orientações para os centros de dia, que sabemos que fazem bastante falta”, referiu.

Os bares e discotecas também continuam sem data de abertura prevista, apesar de as últimas palavras do Governo terem deixado algumas dúvidas. Mariana Vieira da Silva, ministra da Presidência, disse na semana passada que existe a possibilidade de abrir gradualmente espaços de convívio, “à medida que tenham orientações específicas para o seu funcionamento”. No entanto, frisou que “discotecas e espaços de dança ficarão encerrados, uma vez que é pouco possível pensar neles como espaços de distanciamento social”. Neste contexto, os proprietários dos espaços de diversão noturna entendem que os bares deverão abrir primeiro. E, para reforçar a ideia, António Costa, a propósito do prolongamento do layoff até ao final de julho, explicou que as empresas que permaneçam encerradas por determinação do Governo vão manter o regime de layoff simplificado, mesmo depois de julho, e deu o exemplo das discotecas.

Também as fronteiras permanecem com restrições, apesar de existirem já algumas datas e algumas aberturas. A fronteira terrestre com Espanha só abre no início de julho e as ligações aéreas entre os dois países estão ainda suspensas, mas já é possível voar de Portugal para outros pontos da Europa, como Paris ou Londres.

 

O que abre hoje

ATLs e centros de explicações

Os espaços de atividades de tempos livres (ATL) reabrem hoje, com exceção daqueles que estão integrados nos estabelecimentos de ensino. Também os centros de explicações viram luz verde para receber alunos.

Termas e parques aquáticos

As termas podem receber clientes a partir de hoje, desde que seja feita uma triagem “prévia não presencial com um máximo de 72 horas” antes do tratamento para garantir que a pessoa não está infetada. Já para ir até aos parques aquáticos, a visita terá de ser marcada com antecedência e, lá dentro, é obrigatório usar calçado e máscara nas deslocações.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×