14/7/20
 
 
Autarquias. “Não devemos ficar parados pelo medo”

Autarquias. “Não devemos ficar parados pelo medo”

AFP Ana Teresa Banha 01/06/2020 10:22

Desde o início, as autarquias assumiram um papel de proximidade no combate à propagação da covid-19. Quase três meses depois, o papel interventivo mantém-se e parece estar para durar. Câmaras de todo o país apostaram na distribuição de máscaras. Despesa vai nos 10,6 milhões.

Por todo o país, os autarcas tomaram – e continuam a tomar – diferentes decisões em relação aos apoios no combate à pandemia de covid-19. Ao i, Carlos Carreiras afirma que “depois desta pandemia vêm outras duas – a económica e a social”. O presidente da Câmara de Cascais conta que, em conversa com alguns proprietários de restaurantes, ouviu que “assim não vale a pena abrir”, já que, devido às regras da Direção-Geral da Saúde, a capacidade do restaurante ficava reduzida. “Nós demos a capacidade de terem no exterior a mesma capacidade de pessoas que perderam no interior”, explica, já que esta é uma das medidas que a autarquia implementou para que os empresários pudessem abrir portas. Também esta oferta chegou ao público, para que aos habitantes e visitantes chegasse “este sistema de confiança, que é aquele de que nós precisamos de estabelecer rapidamente”. “As pessoas, por um lado, estão ainda muito assustadas, mas nós só temos de combater o medo. O medo não nos leva a lado nenhum” defende o autarca, acrescentando que, “obviamente”, cumprindo com todas as regras. “Mas não devemos ficar parados pelo medo”, conclui.

Também o presidente da Câmara Municipal do Montijo garante que “desde a primeira hora” de necessidade, a autarquia tem vindo a auxiliar o município, e consequentemente, os munícipes. A ajuda, que começou por ser financeira, quando ao Centro Hospitalar Barreiro Montijo foi entregue a quantia de 60 mil euros destinada à compra de equipamento de proteção individual (EPI), acabou por alastrar a outros tipos de setores.

Quase três meses depois de terem sido detetados os primeiros casos, Portugal entra na terceira fase de desconfinamento, que terá início esta segunda-feira, e agora que a aquisição de EPI já não é um problema no mercado, a autarquia encontra outras formas de ajudar. Como forma de incentivo, e para que possam trabalhar em segurança, a autarquia vai distribuir um kit a cada um dos funcionários do comércio local no qual estão incluídos recipientes com álcool-gel e 40 máscaras.

Leia o artigo completo na edição impressa do jornal i. Agora também pode receber o jornal em casa ou subscrever a nossa assinatura digital.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×