15/7/20
 
 
Brasil. Regina Duarte de saída do secretariado da Cultura

Brasil. Regina Duarte de saída do secretariado da Cultura

AFP Jornal i 20/05/2020 15:01

Menos de três meses depois, o motivo declarado da saída da atriz do Executivo são as saudades da família. Contudo, tinha sido noticiado atritos entre esta e a ala mais conservadora do Governo.

Há menos de três meses, a atriz Regina Duarte assumiu o secretariado da Cultura, com o objetivo de "pacificar" o setor, onde há amplas críticas ao Governo de Jair Bolsonaro. Ontem, a atriz, que não estaria nas boa graças da ala mais radical do Governo, afastou-se do cargo, anunciou o Presidente brasileiro: já sentia falta da família, que mora em São Paulo explicou. "Regina Duarte relatou que sente falta de sua família, mas para que ela possa continuar contribuindo com o Governo e a Cultura Brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em São Paulo", lê-se no Twitter de Bolsonaro.

Num vídeo que acompanha o tweet, Bolsonaro aparece com a atriz, que terá ido à sua residência perguntar se estava a ser "fritada", ou expulsa do Governo.  "Regina, toda a semana tem um ou dois ministros que, segundo a mídia, estão sendo fritados. Objetivo é desestabilizar a gente e tentar jogar o governo no chão. Não vão conseguir. Jamais ia fritar você", prometeu o Presidente. Referia-se aos casos de Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, os dois ministros da Saúde que sairam do Governo em plena pandemia de covid-19.

Já Regina Duarte, que em 1971 ganhou a alcunha de "namoradinha do Brasil" com a telenovel Minha Doce Namorada, pareceu mostrar-se satisfeita com o afastamento do Governo. "Acabo de ganhar um presente que é um sonho de qualquer pessoa de comunicação, de audiovisual, de cinema, de teatro: um convite para fazer cinemateca, que é um braço da cultura que funciona lá em São Paulo, e é um museu de toda a filmografia brasileiro, ficar ali, secretariando o governo dentro da cultura na cinemateca. Pode ter presente melhor do que esse? Obrigado, presidente", disse.

Contudo, algumas declarações de Bolsonaro sugerem que poderão de facto ter havido alguns atritos entre Regina Duarte e os ministros mais conservadores, que falam frequentemente dos supostos perigos da "ideologia de género". Para o Presidente, a atriz "é uma excelente pessoa, um bom quadro. É também uma secretaria que era ministério. Muita gente de esquerda pregando ideologia de gênero. Essas coisas todas é que a sociedade, a massa da população, não admite. Ela tem dificuldade nesse sentido", mencionou.

 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×