20/10/20
 
 
Presidenciais. “O ideal era que António José Seguro se candidatasse”

Presidenciais. “O ideal era que António José Seguro se candidatasse”

João Porfírio Luís Claro 19/05/2020 14:00

Ex-eurodeputado socialista Manuel dos Santos lança nome de António José Seguro. Presidente da República responde a Ana Gomes.

António Costa colocou as presidenciais na agenda política e a a agitação é evidente no PS. Ferro Rodrigues voltou a garantir que vota em Marcelo Rebelo de Sousa e Ana Gomes já pondera candidatar-se. O ex-eurodeputado socialista Manuel dos Santos lança António José Seguro. “A esquerda democrática deve ter uma candidatura. Veria com bons olhos que António José Seguro se candidatasse. Era, para mim, o ideal”, diz ao i o ex-eurodeputado do PS.

Manuel dos Santos considera “inaceitável” a forma como António Costa “anunciou o apoio a uma candidatura sem ouvir o partido”. Para este socialista, “é uma violação completa de todas as regras democráticas”.

As declarações de António Costa na Autoeuropa lançaram a discussão sobre as presidenciais. Ana Gomes considerou o “episódio lamentável” e “deprimente”, e não descarta uma candidatura nas presidenciais do próximo ano. “Isto mudou muita coisa. Vou refletir. Um candidato do regime, que, no fundo, é o que é hoje Marcelo Rebelo de Sousa, vai polarizar a sociedade e isso vai facilitar a vida à extrema-direita organizada, não só cá mas internacionalmente”, disse, na SIC, a socialista.

O Presidente da República reafirmou que este ainda não é o tempo para discutir as eleições, mas respondeu a Ana Gomes. “Não é um Presidente contra o regime, senão não era um Presidente da República. Faz parte da lógica jurar fazer cumprir o regime democrático, e não subvertê-lo nem torná-lo ditatorial”, disse.

Marcelo já tinha garantido que antes de novembro não anunciaria a recandidatura. Ontem, durante uma visita à Torre de Belém, reafirmou que as eleições não são uma “prioridade dos portugueses nem do Presidente da República”, porque os assuntos que preocupam os portugueses são o “desconfinamento, a possibilidade de uma segunda vaga de covid-19 no outono e os rendimentos”.

ferro vota marcelo Apesar disso, Marcelo Rebelo de Sousa recebeu ontem mais um apoio de peso. O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, reafirmou que ”se as eleições fossem amanhã, não hesitaria em votar no prof. Marcelo”. A declaração foi feita ao lado de António Costa e depois de o primeiro-ministro ter dado como certa a reeleição de Marcelo Rebelo de Sousa.

António Costa afirmou ontem, em entrevista à TSF, que o PS só tomará uma posição depois de serem conhecidos os candidatos. Garantiu, porém, que “as pessoas apreciaram a forma como o atual Presidente da República tem exercido as suas funções. As pessoas não estão ansiosas por mudança, mas sim ansiosas por tranquilidade e paz institucional”.

Até agora, André Ventura foi o único a anunciar a candidatura à Presidência da República. “O rodopio de nomes avançados nos últimos dias, os avanços e recuos de Ana Gomes têm apenas um único propósito: evitar que a minha candidatura venha a colocar definitivamente em crise o regime. Ana Gomes nem sequer o esconde. O perigo de André Ventura crescer foi o grande motivo apontado para a sua candidatura”, diz o deputado único do Chega.

À direita crescem as movimentações para lançar um candidato. Mesquita Nunes, ex-dirigente do CDS, é uma das hipóteses. Os centristas ainda não decidiram se vão apoiar Marcelo. O_PSD dificilmente terá outra solução, mas alguns sociais-democratas já manifestam reservas. “Sobre a questão de Mário Centeno, o Presidente da República parecia quase o porta-voz do Governo”, disse esta segunda-feira, ao i, Carlos Abreu Amorim. Luís Filipe Menezes admitiu ao semanário SOL que “é um embaraço para o PSD ir a reboque do PS”.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×