3/7/20
 
 
Prisão em Marrocos com mais de 60 infetados

Prisão em Marrocos com mais de 60 infetados

Jornal i 21/04/2020 17:38

Mais de 60 pessoas, sobretudo funcionários, foram infetadas com covid-19 numa prisão do sul de Marrocos.

Sessenta funcionários e seis detidos apresentaram resultados positivos para coronavírus, durante testes feitos na prisão de Ouarzazate, disse, em comunicado, a Direção Geral da Administração Prisional e de Reinserção de Marrocos.

Estes novos casos juntam-se aos 11 que já tinham sido detetados numa prisão de Marraquexe, e aos da prisão de Ksar Kébir, onde nove funcionários e dois detidos foram testados como positivos.

Os casos de contaminação nas prisões de Marrocos, onde existem cerca de 80 mil detidos, serão, a partir de agora, limitados, "graças a medidas preventivas" adotadas pela direção geral, garantiu a mesma fonte.

A administração prisional já tinha indicado que os funcionários dos estabelecimentos penitenciários iam ser submetidos a quarentenas de duas semanas.

No início de abril, mais de 5 mil detidos foram libertados em Marrocos, na tentativa de reduzir o risco de propagação da covid-19 nas prisões.

Outros países da região do Médio Oriente e do Norte da África, onde nenhum caso de contaminação em prisões foi oficialmente registado até agora, fizeram o mesmo, depois de a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, ter pedido a libertação de detidos em todo o mundo.

Em Marrocos, país com 35 milhões de habitantes, foram registados oficialmente 3.186 casos de infeção, incluindo 144 que morreram e 359 que se curaram.

As autoridades impuseram medidas de confinamento, sob rigoroso controlo da polícia, depois de suspender as rotas aéreas e bloquear as fronteiras.

O uso de máscara é obrigatório no país e as autoridades anunciaram a prorrogação até 20 de maio de "todas as medidas preventivas e restritivas do estado de emergência".

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×