24/10/20
 
 
Futebol americano. Ação já tinha de sobra. Juntaram-lhe luzes e câmaras e começou a rodar

Futebol americano. Ação já tinha de sobra. Juntaram-lhe luzes e câmaras e começou a rodar

Afonso de Melo 14/04/2020 09:24

Provavelmente, nenhum outro desporto estará tão profundamente ligado à história do cinema. Os nomes multiplicam-se de forma exponencial desde que os irmãos Marx trouxeram o tema para os ecrãs em 1932, numa pantomima chamada Horse Feathers. Algumas desta películas transformaram-se em sucessos universais.

Os filmes que têm o futebol americano como fundo – todos eles americanos, ou não fosse aquela espécie de râguebi com capacetes e ombreiras uma especialidade puramente americana – são, hoje em dia, quase banais. Mas foram os irmãos Marx, numa película em que o diretor da Universidade de Huxley, um tal Quincy Adams Wagstaff (Groucho) resolve contratar dois artistas, Baravelli (Chico) e Pinky (Harpo) para derrotar a Universidade de Darwin, antes de perceber que tinha em mãos dois trapalhões do mais alto calibre, que lançaram definitivamente o produto no mercado do cinema. O filme chamava-se Horse Feathers, já agora, e data de 1932.

Dizem os entendidos que o futebol americano tem todas as características para encaixar como uma luva na vida cinematográfica.

Leia mais na edição impressa do i. Agora pode rceeber o jornal i em sua casa. Saiba como aqui.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×