5/6/20
 
 
Vítor Rainho 09/04/2020
Vítor Rainho

vitor.rainho@newsplex.pt

A doença económica será mais grave do que a covid-19

Era previsível. Assim que se começasse a anunciar que o pico das contaminações já tinha sido atingido, era óbvio que as pessoas iam começar a sair de casa. O que se passou ontem em várias localidades do país não é grande surpresa: as pessoas estão fartas de estar em casa e mal houve uma notícia simpática, ala que se faz tarde. Resultado: estradas cheias de carros a caminho da aldeia ou de um destino de férias. Quais perigos da Páscoa? Isso já não existe.

A história do coronavírus é mais sinuosa do que o território afegão. Ninguém tem certezas absolutas e cada um diz de sua justiça.

Eu conheço médicos que seguem a máxima de Trump e usam, neles próprios, hidroxicloroquina como prevenção da covid-19. Na Suécia e noutros países nórdicos a vida continua quase como se não existisse o vírus e na rua veem-se poucas pessoas de máscara.

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do jornal i. Pode receber o jornal i em sua casa. Saiba como aqui. 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×