27/9/20
 
 
A força dos mais velhos que conseguem resistir ao vírus

A força dos mais velhos que conseguem resistir ao vírus

Pedro Almeida 08/04/2020 09:40

Luciano Marques da Silva fez os 100 anos numa maca do Hospital de São João, no Porto, e já saiu. Em Lisboa, uma mulher de 93 anos também driblou o vírus e acabou por ficar curada. De Madrid chega o exemplo de um casal, ambos com 88 anos, que uniram forças e conseguiram vencer a luta. Ao i, o pneumologista Jaime Pina explica por que razão alguns idosos conseguem resistir à covid-19.

Desde que a covid-19 começou a alastrar pelo mundo que ficou a saber-se que os idosos constituem um grupo de risco, sendo, por isso, um dos alvos de maior preocupação por parte dos profissionais de saúde. Em Portugal, como já tínhamos visto em outros países, os números comprovam o porquê de merecerem tanta atenção: a maioria dos infetados que acabam por morrer com o novo coronavírus têm mais de 80 anos. Mas não é por isso que deixa de haver casos de sucesso que devolvem momentaneamente um sorriso ao rosto de quem com eles se cruza nestes tempos de pandemia – casos que inevitavelmente ficarão na memória, sobretudo daqueles que viveram essas “proezas” de perto.

Luciano Marques da Silva é um desses exemplos. Tem 100 anos, celebrados no Hospital de São João, no Porto, enquanto recuperava da covid-19. Entrou no serviço de urgência daquela unidade a 24 de março, ainda com 99 anos, apresentando sintomas de insuficiência respiratória, mas curou-se. Saiu do hospital na última sexta-feira (3 de abril), depois de comer o seu bolo de aniversário, no dia 31 de março, e receber um presente: um desenho feito pelo filho de uma enfermeira, “como se do seu avô se tratasse”.

“É um orgulho enorme fazer parte de uma equipa tão dedicada que não deixa de prestar um serviço altamente qualificado e humanizado mesmo perante a situação pandémica que vivemos. O sr. Luciano mostrou-se muito emocionado e grato com o gesto da equipa”, sublinhou Marlene Teixeira, enfermeira-chefe do Serviço de Doenças Infecciosas, que acompanhou todo o processo de recuperação.

Em Lisboa, uma idosa de 93 anos infetada com covid-19 também recuperou de forma exemplar, depois de ter estado 11 dias internada num hospital da capital, segundo António Sales, secretário de Estado da Saúde. E, agora, já se encontra em casa, onde reside na companhia do marido.

Casos como estes existem poucos, é certo, e são vários os fatores que fazem com que idosos com mais de 80 anos consigam recuperar quando estão infetados com o novo coronavírus. Um desses fatores é a genética. Ao i, o pneumologista Jaime Pina confessou que estes casos só acontecem devido a um conjunto de condições que variam de pessoa para pessoa.

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do i

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×