19/5/21
 
 
1400. A linha gratuita criada pelas farmácias para a entrega de medicamentos em casa

1400. A linha gratuita criada pelas farmácias para a entrega de medicamentos em casa

Jornal i 30/03/2020 17:08

A Associação Nacional de Farmácias recomenda aos grupos de risco que deixem de se deslocar às farmácias e adquiram medicamentos unicamente através desta linha. A nova linha poderá também ser usada para planear visitas à farmácia, graças à possibilidade de verificação de stock nas farmácias da área de residência.

A Associação Nacional de Farmácias lançou uma linha telefónica gratuita para a encomenda de medicamentos. Em funcionamento em Portugal continental e nas ilhas, a linha garante também aconselhamento farmacêutico 24 horas por dia. 

O acesso à linha faz-se pelo número 1400, a partir de qualquer rede móvel ou fixa, e o serviço garante diferentes modalidades de entrega ao domicílio por todo o país, através de parcerias com autarquias, IPSS e os CTT. 

A Associação Nacional de Farmácias recomenda aos grupos de risco que deixem de se deslocar às farmácias e adquiram medicamentos unicamente através desta linha. “O 1400 é especialmente recomendado às pessoas que, pela sua idade ou condição de saúde, se devem abster de qualquer saída à rua durante a pandemia de COVID-19”, lê-se no comunicado da Associação Nacional de Farmácias. “Com uma chamada telefónica podem encomendar quaisquer medicamentos e produtos de farmácia”. 

No novo centro de atendimento, será por isso dada prioridade à satisfação dos pedidos de doentes crónicos e a pessoas com mais de 60 anos.

A nova linha poderá também ser usada para planear visitas à farmácia, como dá conta o comunicado: “O serviço 1400 garantirá a cada português que terá à sua espera, na farmácia da sua preferência, todos os medicamentos e produtos de saúde de que necessita, com especial atenção aos mais urgentes”.

Nesses casos, cada cidadão poderá escolher a sua farmácia. O atendimento dará a indicação das farmácias mais próximas da área de residência com os medicamentos disponíveis e, “antes de libertar qualquer encomenda, a farmácia escolhida contacta sempre o utente para o esclarecer quanto aos benefícios, riscos e instruções a seguir para o bom uso dos medicamentos”.

“A pandemia pode ter colocado em causa as visitas à farmácia, mas jamais o serviço farmacêutico completo e seguro”, garante o presidente da Associação Nacional de Farmácias, Paulo Cleto Duarte. “As farmácias continuam próximas de qualquer português, a cada segundo que passa”.

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×