6/4/20
 
 
Pontas Soltas. A "altura ideal" para ver o documentário dos Capitão Fausto
Capitão Fausto

Pontas Soltas. A "altura ideal" para ver o documentário dos Capitão Fausto

Capitão Fausto Jornal i Hugo Geada 23/03/2020 15:46

Os Capitão Fausto estrearam hoje, dia 23 de Março, no YouTube o documentário Pontas Soltas que acompanha o processo de criação do seu terceiro disco Capitão Fausto Têm Os Dias Contados.

O ano de 2015, foi o ano em que  Tomás Wallenstein, Salvador Seabra, Manuel Palha, Francisco Ferreira e Domingos Coimbra, o quinteto que forma a banda mais conhecida por Capitão Fausto, saíram das saias das mães e lançaram o seu terceiro disco Capitão Fausto Têm Os Dias Contados, disco que os retirou do circuito de bandas portuguesas alternativas e, através de um som mais polido, acente no pop rock estudado pelos Beach Boys e os Beatles, chegaram à audiência mainstream portuguesa.

Gostem ou não deste disco, foi um marco na carreira da banda e, agora, o documentário do making of do disco, Pontas Soltas, realizado por Ricardo Oliveira foi lançado online. 

Este documentário estreou em 2016 no Porto/Post/Doc e percorreu um circuito de festivais que incluiu passagens por MUVI, Festival Filmes Sobre Arte, Cinalfama, Festival de Cinema de Avanca, Karelian International Film For Youth Festival, Shortcutz Lisboa e Curtas Vila do Conde 2017 (onde foi apresentado como filme-concerto). Após estes festivais, uma vez que já tinha passado algum tempo após a estreia do álbum surgiu uma pergunta no seio da banda. “Bom, quando é que vamos lançar isto?”, contou ao Domingos Coimbra, baixista dos Capitão Fausto.

"Achámos que agora era a altura ideal para lançar o documentário oficialmente", justificou o músico. "As pessoas estão em casa, precisam de coisas para ver e é uma altura que as pessoas tem mais tempo para conteúdos deste género. Fez-nos todo o sentido disponibilizar o documentário agora".

Perguntámos a Domingos o que é que este documetário acrescenta ao canône da banda e, na opinião do baixista, este é o objeto que melhor representa o que é a banda. "Acho que representa muito bem aquela que é a nossa amizade e a nossa maneira de trabalhar, é dos conteúdos que existem sobre nós que mais se aproxima do nosso método de trabalho e do dia-a-dia normal de Capitão Fausto"

O documentário foca-se numa época especial para a banda porque foi não só quando gravaram o seu aclamado disco, mas também quando se mudaram para Alvalade e montaram o estúdio onde estão atualmente a gravar. "Foi a fase em que gravámos [Capitão Fausto Têm Os Dias Contados] e em que nos mudámos para Alvalade e começámos a construir o estúdio, existem imensas imagens do estúdio por entrar em obras. Hoje em dia está completamente mudado. Para nós, voltar a ver este documentário, que não o víamos desde a altura em que tinha saído foi muito interessante porque já mudou muita coisa desde então, acho que o documentário é um ótimo retrato da altura e depois tem um toque artístico do Ricardo o que lhe dá um caráter mais intemporal".

Segundo o baixista, o realizador, Ricardo Oliveira, responsável por todos os video-clipes da banda, com a excepção de um, teve um papel fundamental na criação de Pontas Soltas. "O que o Ricardo conseguiu fazer bem neste documentário foi adicionar algumas entrelinhas, que se calhar não são muito clássicas em documentários deste género que à partida seriam só sobre música ou fazer músicas, por isso, acho que acaba por ser mais um filme do que um documentário".

Pontas Soltas está disponível no YouTube e pode assistir neste link.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×