22/9/20
 
 
Há 165 profissionais de saúde infetados. Houve um teste postivo no navio de cruzeiro que atracou em Lisboa

Há 165 profissionais de saúde infetados. Houve um teste postivo no navio de cruzeiro que atracou em Lisboa

Miguel Silva Jornal i 23/03/2020 13:52

Serviço Nacional de Saúde (SNS) tem, neste momento, capacidade para realizar 2500 testes diários.

O secretário de Estado da Saúde, António Sales, revelou, na conferência de imprensa desta segunda-feira, que há 165 profissionais de saúde infetados com o novo coronavírus – 82 são médicos, 37 enfermeiros, e os restantes 46 são de outros grupos profissionais, como assistentes operacionais.

Segundo Sales, o Serviço Nacional de Saúde (SNS) tem, neste momento, capacidade para realizar 2500 testes diários e os serviços privados 1500, podendo assim ser realizados em Portugal um total de 4000 testes por dia.

"Existe uma capacidade em stock entre público e privado de cerca de 20 mil testes. Estamos, por isso, a aumentar progressivamente a nossa capacidade de testagem", disse.

O secretário de Estado falou ainda sobre os lares, que admite apresentarem uma “situação que inspira cuidados”. Sales admite que estas instituições têm de seguir um plano de contingência e ter espaços de isolamentos e pede que recorram às bolsas de voluntariado existentes.

Sales garantiu ainda que Portugal terá mais dois milhões de máscaras cirúrgicas e dois milhões de máscaras da tipologia FFP2, o segundo nível de proteção. "Hoje mesmo sai um avião com destino à China para trazer material", revelou.

Na mesma conferência de imprensa, Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, revelou que um dos portugueses do navio cruzeiro atracado em Lisboa deu positivo para a covid-19 e será agora feita uma contra-análise.

A diretora-geral da Saúde diz ainda que foram asseguradas medidas de isolamento dentro da embarcação.

"Este cidadão vai ser novamente testado e se essa amostra der positivo temos um plano para este navio", referiu Graça Freitas, acrescentando que este cidadão não está em Lisboa.

"O que estava programado para o navio era só fazer testes aos cidadãos nacionais que iam ficar em solo português e esses foram todos testados. Em relação aos restantes passageiros e tripulantes não era suposto realizar testes", explicou.

Graça Freitas admitiu ainda que, além de Ovar, há mais localidades que apresentam alguns sinais de que possa haver transição comunitária, acrescentando ainda que a DGS está a tentar confirmar todas as cadeias de transmissão em Portugal antes de dar essa informação.

"Queremos ser mais transparentes e dar mais informação; Dentro de dias, isso vai acontecer”, disse.

Recorde-se que, segundo o último balanço, há 23 mortes confirmadas em Portugal devido à covid-19 e 2060 casos de infeção.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×