31/3/20
 
 
Carlos Carreiras 12/02/2020
Carlos Carreiras

opiniao@newsplex.pt

A nova vida do Aeródromo de Tires

Queremos que Tires seja um centro de inovação, de formação e o principal hub da aviação executiva no país.

Vivemos num mundo em rede. Interligado. E nesta nova realidade, em que cada ponto do globo se liga, as fronteiras físicas diluem-se. A conectividade é a chave para o progresso das nações e confere liderança estratégica de longo prazo. As distâncias deixaram de se medir em quilómetros, medem-se em tempo.

A conectividade é suportada com arquitetura de redes de dados e com a colocação da tecnologia ao serviço dos cidadãos. E por isso falamos tanto em smart cities. É o pilar da informação.

Como é evidente, não há conectividade entre nações ou mercados sem infraestruturas de suporte. Falamos de oleodutos ou gasodutos, acessos a mercados ou redes de telecomunicações. Mas também falamos de estruturas rodoviárias, portos, aeroportos ou ferrovias. É o pilar da comunicação.

Como autarca, compreendo o valor da conectividade como fonte de vantagem competitiva sustentável para os territórios.

Em Cascais, o que me cabe administrar por mandato dos meus concidadãos, estamos a encetar uma ampla reforma das nossas redes de suporte que nos garanta uma via verde para a prosperidade sustentável.

A nossa aposta nas smart cities começou há muito. Temos sensores inteligentes nos ecopontos que otimizam a recolha de lixo, temos o primeiro autocarro autónomo em espaço público e, quando meio mundo discute o 5G, fomos o município português a abrir caminho a um projeto das redes de quinta geração.

Estaremos onde queremos estar: a ser território-laboratório nas políticas públicas para liderar a revolução das políticas públicas.

Por falar em revolução, o nosso programa de transportes públicos gratuitos – a vigorar desde janeiro deste ano – tem tido um sucesso muito significativo. Em apenas um mês, a utilização das carreiras municipais cresceu, em média, 27%. Isto é ter impacto na vida das pessoas.

Temos também uma aposta muito forte nas infraestruturas de comunicação. Por diversas vezes o disse, o Governo conta com Cascais para pensar executar novas soluções para a saturação da A5 (como o BRT) ou para encontrar uma solução para a ferrovia na Linha de Cascais. Entendemos que estes projetos não são apenas decisivos para a qualidade de vida dos cidadãos. Eles são vitais para a competitividade económica, no contexto nacional e internacional, do grande motor da área metropolitana: o eixo Cascais-Oeiras-Lisboa. Aumentar a conectividade dos três pontos deste triângulo captará talento, criará emprego e distribuirá prosperidade.

Para além de um programa de vários milhões de euros que revitalizará os principais eixos rodoviários do concelho, estamos a estudar o plano de investimento no Aeródromo de Tires. Já hoje uma das principais estruturas aeroportuárias da Península Ibérica em número de movimentos, o Aeródromo de Cascais é uma estrutura decisiva para a afirmação daquela que tem sido, historicamente, a freguesia economicamente mais deprimida do concelho: São Domingos de Rana.

O plano de convergência de São Domingos de Rana com os níveis de prosperidade de outros pontos do concelho e mesmo com as regiões mais ricas do país implica que o aeródromo seja modernizado.

Vamos melhorar a operação, com uma nova torre de controlo e novos taxiways.

Vamos melhorar a segurança, com um novo quartel de bombeiros e outras valências que surgem depois de termos dotado o terminal de novas esquadras para SEF e PSP.

Vamos melhorar a aerogare, com um novo terminal moderno e confortável, que prestigie quem nos visita e a freguesia.

Todos estes trabalhos decorrem no interior do perímetro do aeródromo. Repito, para que as fake news não façam o seu caminho: todo o plano de revitalização do aeródromo passa por trabalhos dentro do perímetro da infraestrutura – melhorias que visam mais segurança e mais operacionalidade do aeroporto.

Quanto à visão que Cascais tem para o equipamento, ela mantêm-se inalterada: queremos que Tires seja um centro de inovação, de formação e o principal hub da aviação executiva no país. Tires notabilizou-se como centro de excelência para instrução de voo. Essa vocação histórica é para reforçar. Em 2019, a TAP instalou o seu mais moderno simulador em Tires, por onde passará a formação de todos os pilotos da companhia aérea nacional. A TAP vai continuar a investir no aeródromo e mais simuladores de última geração serão instalados em Tires. Treino, formação e ensino são uma aposta ganha, confirmando que Tires é a grande escola de aviação em Portugal e, hoje, uma das maiores da Europa.

A cadeia de valor do ensino não permite apenas captar talento e conhecimento. É também geradora de emprego na freguesia.

Por outro lado, a aviação executiva: Portugal não pode dar-se ao luxo de perder este segmento de voos. Com o aeroporto de Lisboa saturado, é cada vez mais relevante encontrar uma alternativa a este nicho que gera vários milhões de euros na economia nacional. Pelo seu posicionamento estratégico, pela sua história, Tires é a opção natural para centrar as operações da aviação executiva.

Todos estes melhoramentos, fundamentalmente operacionais e de segurança, são feitos dentro do perímetro do aeródromo. Mas porque vivemos na era dourada da ignorância, políticos sem escrúpulos dedicaram-se à proliferação de notícias falsas que pretendem apenas e só semear ansiedade entre as populações mais frágeis e desprotegidas. Profissionais da calúnia, demagogos de pacotilha e terroristas das redes sociais, cujo projeto político se resume ao desespero e ao medo. Gente que a História não registará. Porque quando se apresentarem a votos, e eles hão de apresentar-se a votos, o povo terá memória. E o seu juízo não falhará.

 

Presidente da Câmara Municipal de Cascais

Escreve à quarta-feira

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×