7/7/20
 
 
Compra TVI. Negócio na reta final

Compra TVI. Negócio na reta final

Raquel Wise Daniela Soares Ferreira 30/01/2020 16:35

Depois do aval positivo da Concorrência e da luz verde das assembleias-gerais, o contrato de aquisição da Media Capital por parte da Cofina será assinado em fevereiro, sabe o i.

Era um dos últimos pontos que faltava para que o negócio de compra da Media Capital por parte da Cofina avançasse: os acionistas da Prisa já aprovaram a venda da dona da TVI à Cofina numa assembleia-geral extraordinária realizada ontem.

A decisão foi comunicada à Comissão Nacional do Mercado de Valores espanhola onde a empresa explica que “ficam aprovadas todas as propostas de acordos submetidas à assembleia-geral pelo conselho de administração”.

Assim, está dado o ok à venda da Vertix – que detém 94,96% da Media Capital – para a Cofina.

Também os acionistas da Cofina e da Media Capital estiveram reunidos ontem para aprovar o negócio. Na reunião dos acionistas da Cofina, que detêm 74,66% do grupo, foi aprovado o aumento de capital de 85 milhões de euros, que servirá para financiar a compra da dona da TVI. A Cofina informa que “foi deliberado” proceder a um “aumento de capital social da sociedade, por uma ou mais vezes, por entradas em dinheiro, num montante global máximo de 85.000.000,05 euros”, lê-se no comunicado enviado ao fim da tarde de ontem à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Mas o aumento de capital não foi a única deliberação dos acionistas da Cofina que aprovaram ainda uma algumas alterações nos estatutos da sociedade.

O i sabe que o contrato de aquisição da Media Capital por parte do grupo Cofina vai ser assinado em fevereiro, disseram fontes ligadas à operação. O negócio esteve em standby até hoje, altura em que se realizaram as assembleias-gerais.

O i sabe também que, para já, vão ser mantidos os dois edifícios – o da TVI em Queluz de Baixo e o da Cofina no Alto dos Moinhos. Fonte ligada à operação garante que a fusão das duas redações está excluída, tanto que essa foi uma das exigências da Autoridade da Concorrência (AdC), que acabou por dar luz verde ao negócio por ser considerado uma aquisição.

Recorde-se que, tal como tinha avançado o SOL, a operação vai ser financiada por dois bancos: Santander Portugal e Société Générale. Nesta operação podem ainda participar o empresário Mário Ferreira da Douro Azul e os espanhóis Abanca.

Foi em 21 de setembro que a Cofina anunciou que tinha chegado a acordo com a espanhola Prisa para comprar a totalidade das ações que detém na Media Capital, valorizando a empresa (’enterprise value’) em 255 milhões de euros (a operação inclui a dívida), valor que entretanto baixou 50 milhões de euros devido às audiências e resultados da TVI.

Durante todo o processo, foram dados vários pareceres positivos, nomeadamente da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) e da Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom).

O parecer oficial foi dado pela Autoridade da Concorrência, que garantiu que a operação “não é suscetível de criar entraves significativos à concorrência efetiva nos mercados identificados como relevantes”.

 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×