15/8/20
 
 
Vítor Rainho 22/01/2020
Vítor Rainho

vitor.rainho@ionline.pt

O suicídio do Livre deixa uma viúva: Joacine

É oficial. O Livre decretou a sua morte em direto e deixou uma viúva: Joacina Katar Moreira. A deputada eleita, tudo o indica, continuará na Assembleia da República, mas agora a solo, sem o apoio do partido pelo qual foi eleita.

É oficial. O Livre decretou a sua morte em direto e deixou uma viúva: Joacina Katar Moreira. A deputada eleita, tudo o indica, continuará na Assembleia da República, mas agora a solo, sem o apoio do partido pelo qual foi eleita.

Ricardo Sá Fernandes, membro do Livre, ainda tentou acalmar as hostes alertando para o perigo do suicídio em direto, mas, pelos vistos, não foi ouvido. Rui Tavares, o criador que quis ficar a mexer os cordelinhos na sombra, já veio assumir que ficou muito desconfortável com a célebre intervenção de Joacine no passado fim de semana: “Senti a vergonha alheia dos outros. Senti que as pessoas que estavam a ver aquilo estavam incomodadas e incomodadas connosco, com o Livre, comigo também”.

E de que tem vergonha Rui Tavares? Dos gritos que Joacine deu no congresso do Livre a defender-se das acusações que recaem sobre si? Foi o tom que lhe causou vergonha ou a defesa da deputada? Certo é que um partido que se dizia livre ficou amarrado a uma peixeirada em defesa de um tacho, vulgo lugar no Parlamento. Tavares também não deve ter gostado de ouvir a deputada dizer que foi ela uma das principais razões para o partido ter conseguido a subvenção de mais de 160 mil euros anuais, já que teve uma boa quota parte de responsabilidade por o Livre ter alcançado mais do que 50 mil votos, meta necessária para a tal subvenção estatal.

O espetáculo foi deprimente, é certo, mas Rui Tavares não conhecia Joacine antes de a eleger como cabeça de lista do Livre por Lisboa? Será que a criatura abandonou o criador?

P. S. 1. Da Venezuela chega-nos uma notícia surpreendente. O Governo de Maduro, que se aguenta no poder com a ajuda de Cuba, Rússia e China, revelou que o embaixador cubano participa nas reuniões do Conselho de Ministros com o objetivo de “reformar para melhorar toda a estrutura e toda a lógica das atividades para Cuba e a Venezuela”. Será que está em criação um novo país, a Cunezuela?

P.S. 2. O Consórcio Internacional de Jornalistas descobriu mais de 700 mil documentos que, supostamente, incriminam Isabel dos Santos. Sobre este assunto falarei num dos próximos editoriais. Mas no meio de tanto documento não estarão os nomes dos jornalistas portugueses envolvidos nos Papéis do Panamá? É que há anos que todos esperamos a divulgação de tal cacha nacional...

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×