29/11/20
 
 
"Na política não temos de ter inimigos, temos de ter adversários"

"Na política não temos de ter inimigos, temos de ter adversários"

Mafalda Gomes jornal i 16/01/2020 23:02

"Para sábado falta muito pouco, para domingo é que eu não sei”, disse, afirmando ter receio que se o resultado final for próximo, a oposição interna pode continuar "a infernizar” a direção.

Rui Rio disse, esta quinta-feira, que lhe falta "muito pouco" para conseguir vencer as eleições diretas do PSD, este sábado, em entrevista à TVI, no entanto mostra-se preocupado com o resultado e com o facto de este não ser expressivo o suficiente.

"Estive a 300 votos de conseguir resolver a coisa à primeira”, sublinha o atual líder do PSD. “Para sábado falta muito pouco, para domingo é que eu não sei”, disse, afirmando ter receio que se o resultado final for próximo, a oposição interna pode continuar "a infernizar” a direção.

Depois do seu adversário o acusar de ceder demasiadas vezes às vontades do partido socialista, esta quarta-feira, numa entrevista à TVI, Rio diz que não é necessário "“inventar divergências onde elas não existem”. Temos de ser educados, civilizados e assertivos nas diferenças entre o PSD e o PS, para que os portugueses percebam que devem votar no PSD e não no PS”, disse. “Não devemos ter uma política do bota-abaixo, sempre contra tudo, olhando para a política como se de futebol se tratasse.Na política não temos de ter inimigos, temos de ter adversários” sublinhou.

Questionado sobre o que fará caso perca contra Montenegro, Rio afirma que terá "o comportamento correto" e que irá respeitar os votos. 

Rio criticou ainda a instabilidade do PSD e acusa o partido de ter “ triturado os líderes" e diz que este "muda de líder como quem muda de camisa”, o que provoca falta de confiança na população e impede o partido de se tornar líder.

Ler Mais


Especiais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×