1/10/20
 
 
Maçonaria. Guerra pela liderança já começou

Maçonaria. Guerra pela liderança já começou

Miguel Silva Luís Claro 16/01/2020 14:33

Fernando Cabecinhas, que foi número dois do atual grão-mestre, tem sido pressionado a avançar. Lima diz que a maçonaria “é uma casa de pessoas livres” e não fecha a porta a um quarto mandato.

A luta pela liderança da maçonaria já começou e há, pelo menos, dois possíveis candidatos. Fernando Lima, que se recandidata a um quarto mandato, e Fernando Cabecinha, ex-presidente da Grande Dieta [o parlamento maçónico].

As eleições no Grande Oriente Lusitano (GOL), a mais antiga obediência maçónica em Portugal, estão marcadas para dia 30 de junho e alguns maçons dão quase como certa a disputa entre o atual grão-mestre e Fernando Cabecinha. Curiosamente, os dois tiveram uma relação de grande proximidade e Cabecinha foi mesmo o número dois do atual grão-mestre do GOL na empresa Galilei, entre 2009 e 2015.

O i sabe que Fernando Cabecinha tem sido desafiado a avançar por vários maçons e está em período de reflexão. Ao i, o ex-presidente do parlamento maçónico prefere, porém, não fazer nenhum comentário.

Fernando Lima, grão-mestre do GOL, não comenta outras candidaturas, mas garante que a maçonaria é uma casa de pessoas livres. “Não conheço nenhuma candidatura anunciada. Isto é uma casa de pessoas livres. Quem acha que tem capacidade  [para desempenhar o cargo] tem toda a liberdade para o fazer”.

fernando lima em reflexão O atual grão-mestre do GOL foi o primeiro a cumprir três mandatos à frente da instituição desde o 25 de Abril e já abriu a porta a um quarto mandato. “Uma reflexão que será feita no tempo certo, sem precipitações, sem pressões extemporâneas ou impulsos de momento e sem que nos deixemos condicionar pelo que quer que seja. Uma reflexão de que retiraremos, enquanto coletivo, todas as consequências e com base na qual assumiremos, eu e a equipa a que presido, todas as nossas responsabilidades. Até lá, continuaremos empenhados”, escreveu o grão-mestre do GOL numa mensagem dirigida aos maçons.

O grão-mestre do GOL garantiu, na mesma mensagem, que estão criadas as condições para que a maçonaria entre “agora numa fase de crescimento e consolidação, há muito desejada, mas sempre adiada”.

Há, porém, quem pense que o grão-mestre não deve estar tanto tempo no cargo e Fernando Lima já está à frente do GOL desde 2011. Para lá de Fernando Cabecinha, que é visto pelos opositores de Lima como a hipótese mais forte, o nome do ex-provedor de Justiça Faria da Costa também já surgiu entre os possíveis candidatos.

Fernando Lima disputou as eleições em 2017 com o professor catedrático e politólogo Adelino Maltez e o economista Daniel Madeira de Castro, e foi eleito à segunda volta com mais 31 votos.

Um dos principais assuntos da campanha interna foi a necessidade de melhorar a comunicação com o exterior. Fernando Lima contou, nessa altura, com o apoio dos ex-grão-mestres António Arnaut e António Reis. Do lado de Adelino Maltez estiveram figuras como o deputado do PS e ex-ministro da Cultura João Soares, o advogado Ricardo Sá Fernandes e o militante socialista e médico Álvaro Beleza.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×