5/8/20
 
 
Óscares. Joker lidera, Scorsese é o realizador vivo com mais nomeações

Óscares. Joker lidera, Scorsese é o realizador vivo com mais nomeações

Hugo Geada 14/01/2020 11:43

Joker está nomeado para 11 categorias e pela primeira vez há um sul-coreano candidato a Melhor Filme. A seleção está, no entanto, a ser criticada pela falta de diversidade.

Foram ontem anunciados os nomeados para a 92.a edição dos Óscares, com destaque para as 11 nomeações de Joker, as duas nomeações de Scarlett Johansson (Marriage Story e Jojo Rabbit), que nunca antes tinha sido indicada para este prémio, Martin Scorsese (O Irlandês), que se torna o segundo realizador mais nomeado de sempre, e os estúdios da Netflix, que viu as suas produções ocuparem praticamente todas as principais categorias.

Se o filme do palhaço rei do crime foi recordista, com indicações como Melhor Longa Metragem, Melhor Ator, para Joaquin Phoenix e, para Todd Phillips, Melhor Realizador e Melhor Argumento Adaptado, Era Uma Vez em… Hollywood, O Irlandês e 1917 seguem de perto com dez nomeações cada, figurando igualmente na corrida para Melhor Filme do Ano.

“Quando ultrapassarem a barreira de uma polegada que são as legendas, vão descobrir tantos filmes incríveis”, disse o sul-coreano Bong Joon-ho quando recebeu o Globo de Ouro para Melhor Filme Estrangeiro com Parasitas. Agora indicado em seis categorias, este é o primeiro filme sul-coreano a estar nomeado para Melhor Filme do Ano (11.o filme estrangeiro a conseguir tal proeza).

Além dos acima mencionados, entre os nomeados para Melhor Filme está a produção original da Netflix Marriage Story, Mulherzinhas, de Greta Gerwig, a comédia sobre nazis Jojo Rabbit e o biopic Le Mans ’66: O Duelo.

Mais um ano de falta de representação Entre os melhores realizadores, além da confirmação de Scorsese no panteão do cinema e de Bong Joon-ho a tornar-se o primeiro nomeado sul-coreano, há a presença de veteranos como Quentin Tarantino (apesar de ter dois Óscares, o realizador de Pulp Fiction nunca venceu nesta categoria) e Sam Mendes (venceu este prémio com o filme Beleza Americana). Todd Phillips é pela primeira vez nomeado para este galardão.

“Parabéns a estes homens”, comentou com ironia Issa Rae quando anunciou os nomeados. Mais uma vez, nenhuma mulher esteve entre os nomeados. Greta Gerwig, realizadora de Mulherzinhas, era uma das favoritas para estar entre os selecionados e tem sido apontada com uma das principais ausências. Mesmo com a pressão levantada pelo movimento #OscarsSoWhite, que acusa os prémios de falta de diversidade étnica e racial, a atriz Cynthia Erivo (Harriet) é a única negra entre os 20 atores nomeados.

Apesar desta omissão, o documentário da brasileira Petra Costa Democracia em Vertigem, produção original da Netflix, está entre os nomeados para Melhor Documentário, que conta ainda com American Factory, uma produção da família Obama, For Sama, Honeyland e The Cave.

A curta-metragem portuguesa Tio Tomás – A Contabilidade dos Dias, de Regina Pessoa, estava na shortlist das nomeações, mas acabou por não estar entre as selecionadas para concorrer.

A cerimónia de entrega irá acontecer de 9 para 10 de fevereiro e será transmitida em Portugal nos canais Fox e Fox Movies.

 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×